sexta-feira, 31 de agosto de 2012

LENDAS DO ROCK: WINGS


Com os Beatles em pé de guerra,Paul McCartney começou a pensar no que iria fazer com o fim do quarteto. Paul e a família,foram então para Escócia,onde passava os dias cuidando de carneiros,compondo e tocando ao lado de Linda. O músico acabou fazendo tudo sozinho no seu primeiro disco solo "McCartney" de 1970.em "RAM" de 1971,Paul McCartney sentiu a necessidade de uma banda,chamou como colaboradores o baterista Danny Seiwell e o guitarrista David Spinozza,daí para a formação de um grupo,foi um passo. Ainda em 1971,o ex Beatle,manteve Seiwell,e recrutou Denny Laine-um jovem guitarrista com passagem pelos grupos:Moody Blues,Denny Laine's String Band e Ginger Baker's Air Force. Com Seiwell,Laine e Linda,Paul forma os Wings. O nome foi uma homenagem a filha Stella. Ainda em 1971,sai o primeiro álbum "Wild Life",trazendo o hit "Tomorrow". De imediato os Wings se enfiam dentro de um ônibus e começam a excursionar fazendo o circúito das universidade no reino unido,eram as turnês Wings University Tour e Wings Over Europe. Depois de alguns meses na estrada,uma pequena pausa para a gravação e lançamento do polêmico single "Give Ireland Back To The Irish",banido pela BBC por conter letras politizadas. Chega 1972,McCartney rebatiza o conjunto como "Paul McCartney & Wings",convoca mais um guitarrista o Irlandês Henry McCullough,contunuam a excurcionar urilizando o tourbus,e no retorno à Londres,eles vão para o Abbey Road onde trabalham exaustivamente nas fitas com as músicas de "Red Rose Speedway",lançado em Maio de 1973, destacando a balada "My Love". Outro single é lançado de imediato,"Live And Let Die",canção tema criada para à trilha sonora do filme 007 Live And Let Die,inclusive com indicação ao Oscar. A turnê de Red Rose Speedway(Wings 73 UK Tour),pelo reino unido,permanece até o mes de Julho,quando Paul e sua turma,resolvem suspender tudo e tomar o rumo da Nigéria para concluir em estúdios africanos,o próximo disco. Antes mesmo do embarque,Seiwell e McCullough,desistiram da viagem-não queriam ir pra África alegando os problemas que passavam os Nigerianos com uma guerra civil. Como um trio,os Wings partiram,e gravaram vários tapes num estúdio daquele pais,com ajuda de técnicos locais. Quando tudo estava pronto,a fita máster foi roubada,e a influência de um ex Beatle,foi de grante utilidade junto as autoridades policiais,que localizaram tais fitas num piscar de olhos. Susto superado,eles voltam para a capital Inglesa,se trancam novamente em Abbey Road,fazem uma nova remixagem e lançam em Dezembro o mega platinado "Band On The Run",emplacando de uma só vez os hits "Jet","Band On The Run","Let Me Roll It","Bluebird" e "Mrs.Vandebilt". No início do ano seguinte(1974),o chefão,resolve reformar os Wings com novos músicos,e recruta mais um garoto para o posto de guitarrista, Jimmy McCulloch,além de Geoff Britton para a bateria. Lançam os singles "Junior's Farm" e Hi,Hi,Hi-outra banida pela BBC,dessa vez por conter conotações sexuais. Durante todo o restante do ano,os wings voltam novamente ao estúdio,para as gravações de "Venus And Mars" que chega às lojas em Maio de 1975. É o primeiro pelo próprio selo de McCartney,chamado MPL(McCartney Production Limited). Durante as mixagens do disco em New Orleans,o baterista Geoff Britton desertou,em seu posto entrou Joe English. "Venus And Mars" não chega a ser um disco fraco,mesmo assim,não consegue emplacar e superar "Band On The Run",mas traz boas composições como: "Rock Show"(onde Paul faz menção à Jimmy Page).e "Listen To What The Man Said". É nesse disco também que Paul McCartney começa a liberar que outros integrantes participem como intérpretes,é o caso de Danny Laine que faz vocal solo em "Spirits Of Ancien Egypt",além de Jimmy McCulloch que canta em "Medicine Jar". Na sequência,iniciam uma excursão pela europa-não mais no tourbus-chamada Wings Over The World Tour,com apresentações finais na Austrália. Em Março de 1976,outro lançamento "Wings At The Speed Of Sound. Nesse àlbum,McCartney resolve retribuir a "gentileza" que John Lennon lhe prestou na música "Now Dou You Sleep?",acusando o ex parceiro de compositor medíocre. Paul responde propositalmente com "Silly Love Songs",um grande hit ao lado de "Let Em In". Nesse Lp todos os integrantes dos Wings cantam uma canção cada. Chega o momento das asas voarem aos Estados Unidos. A turnê americana(Wings Over The World Tour) dura um ano,culminando com a consagração dos Wings nos Estados Unidos. Alguns momentos dessas apresentaçõse,estão registrados no triplo ao vivo "Wings Over America",e no vídeo "Rock Show" que contém o show em Seattle. No final da maratona,a turma retorna à base novamente,Jimmy e Joe,aproveitam e deixam os McCartney's. Em 1977,novamente como um trio,eles colocam no mercado o Single "Mull Of Kintyre",uma singela homenagem à Escócia,tornando-se o compácto mais vendido na Inglaterra. Em Março de 1978, chega "London Town",o disco mais vendido dos Wings,puxado pelo hitsingle "With A Little Luck".  Aproveitando, a EMI/Capitol,despeja cópias da compilação "Wings Greatest Hits",incluindo também canções dos primeiros discos de Paul. Em Junho de 1979,e a vez de "Back To The Egg",apresentando nóvos contratados: Laurence Juber na guitarra e Steve Holley na bateria. Nesse disco,Paul McCartney criou a Rockestra para executar a faixa Rockestra Theme,contando com: Pete Townshend(The Who),David Gilmour(Pink Floyd),e John Paul Jones e John Bohnam(Led Zeppelin),dentre outros. Meses depois,Paul é informado sobre a morte de Jimmy McCulloch por overdose,em seguida ele organiza em Londres com shows no Hammersmith Odeon,o "Concert For The People Of Kampuchea,com a participação de The Who,Queen,The Pretenders,The Clash,Elvis Costello,The Specials,a Rockestra e o próprio Wings que já havia passado antes pela Escócia com shows em Edimburgo e Glasgow(Wings UK Tour 1979).  Em Janeiro de 1980,os Wings partem para cumprir datas agendadas no Japão. Ao desembarcar em Tokyo,Paul foi preso após ser flagrado com uma razoável quantidade de maconha(marijuana),e consequentemente,detido por uma semana até a deportação para a Inglaterra. Ao ser flagrado,o policial da alfândega indagou: "O senhor precisa disso para compor suas músicas,Sr.McCartney?". Esse episódio,marcou definitivamente o final dos Wings.

Discografia Básica:
Wild Life - 1971/Apple
Red Rose Speedway - 1973/Apple
Band On The Run - 1973/Apple
Venus And Mars - 1975/MPL-Capitol
Wings Over América - 1977/MPL-Capitol

Bootlegs:
Paul McCartney & Wings - Wings Over Texas 1976
Paul McCartney & Wings - Wings Over Boston 1976
Paul McCartney & Wings - Wings Over Los Angeles 1976
(Todos Registrados durante a turnê americana"Wings Over The World Tour)


Nota: Até hoje nas apresentações de Sir.Paul McCartney,não faltam os clássicos dos Wings:"Jet"."Band On The Run","Let Me Roll It","Bluebird",e "Live And Let Die",são presenças constantes no set list do ex Beatle.

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

LENDAS DO ROCK: MOUNTAIN

Em 1969,o músico e produtor Felix Pappalardi,conhecidíssimo por trabalhar com o Cream,estava em estúdio participando da produção de mais um disco do "Vangrants",grupo conhecido nos arredores de New York,mas totalmente obscuro no resto dos Estados Unidos. Com o final do "Vangrants",Pappalardi convenceu o guitarrista Leslie West,iniciar de imediato uma carreira solo,investindo para que ele se tornasse um novo Eric Clapton, ou até mesmo Jimi Hendrix. Pappalardi e West,trabalharam meses num álbum chamado de "Leslie West:Mountain"(1969) - o título era uma clara menção à obesidade de West. O Lp foi lançado em Agosto de 1969 pelo selo Windfall contando com:Norman Smart(bateria),Steve Night(teclados),além de Felix Pappalardi(baixo e piano) e Leslie West(guitarra e vocais). Após algumas apresentações,Norman Smart é demitido e o canadense Corky Laing(discípulo de Ginger Baker) é contratado para assumir definitivamente às baquetas. Com a banda consolidando o nome Mountain,eles acabam ganham um convite pra tocar no Woodstock Festival. Embora realizando a sua quarta exibição em público,os caras simplesmente arrasaram. Depois de uma grande turnê pela América,o Mountain parou para as gravações do disco seguinte intitulado "Climbing"(1970) contendo dois memoráveis hits:"Theme For An Imaginary Western" e "Mississippi Queen" além de "For Yazgur's Farm",em homenagem à Max Yazgur,proprietário da fazenda onde foi realizado o Woodstock. O álbum vendeu bastante,abiscoitando disco de ouro. Já estamos em 1971,a gravadora aproveita a boa fase dos rapazes e os convence a lançarem de uma só vez,"Nantucket Sleighride" e "Flowers Of Evil". No ano seguinte,sai o primeiro ao vivo "Live - The Road Goes Ever On",contendo apenas duas músicas de cada lado. Era muita pressão em tão pouco tempo,Felix Pappalardi tirou umas férias e retornou às produções,Steve Night também se afastou,restaram Leslis West e Corky Laing que se juntaram ao baixsita Jack Bruce(ex Cream),e formaram o super grupo:West,Bruce & Laing. "Why Dontcha"(72),"Whatever Turns You On"(73) e o ao vivo "Live In Kickin"(74),foram os discos lançados pelo power trio,que encerrou suas atividades alegando falta de, tempo disponível de Jack Bruce. Ainda em 1974,Felix Pappalardi se reecontra com Leslie West e os dois resolvem reagrupar o Mountain,agora com Bob Mann(teclados) e Allan Schwartzberg(bateria),Felix Pappalardi(baixo e vocais) e Leslie West(guitarra e vocais). Esse line up,grava o duplo "Live Twin Peek",com shows registrados em Ozaka no Japão,em seguida sai "Avalanche",trazendo versões de surpreendentes de "Whole Lotta Shakin' Goin On"(Jerry Lee Lewis) e "Satisfaction"(Jager and Richards). No ano seguinte,Leslie West abandona o Mountain para retomar sua carreira solo,lançando "The Great Fatsby",ao mesmo tempo em que grava o único disco da Leslie West Band. A montanha,sai de foco outra vez com a afirmação de que Felix Pappalardi,estava com uma grave infecção nos ouvidos,a ponto de ficar surdo. Até o início dos anos oitenta,nada aconteceu com o Mountain. Em 1983,uma notícia lúgubre,Pappalardi ao discutir com sua mulher Gail Collins,levou um tiro à altura do pescoço,caíndo no chão já cadáver. Gail Collins Pappalardi,era uma espécie de braço direito de Felix,atuando na elaboração de contratos,gerenciamento de trurnês e produção de shows. Em 1985,Leslie West,recupera o Mountain,agora um trio contanto novamente com Corky Laing e o jovem baixista Miller Anderson. Eles gravam "Go For Your Life" que passou batido de público e crítica. Miller Anderson sai da banda,entra o veterano baixista Mark Clarke,e eles fazem uma apresentação formidável no programa Rockpalast na Alemanha. West,volta novamente à carreira solo onde tem lançado discos com freqência,alternando com casuais reuniões do Mountain,participações em tributos e encontro de guitarristas famosos.

Discografia Básica:

*Climbing - 1970/Windfall
*Nantucket Sleghride - 1971/Windfall
*Live - The Road Goes Ever On - 1972/Windfall(ao vivo)
*The Best Of Mountain - 1973/Windfall(compilação)
*Avalanche - 1974/Windfall

Obs:Todos esses discos do Mountain,estão disponíveis em formato digital.

Notas: O baterista Korky Laing,possui dois discos lançados:"Makin' It On The Street"(1977) e "Stick It! An Audiobook By Korky Laing"(2007).

No final dos anos oitenta,Leslie West juntou-se à Martin Turner(wishbone Ash),Randy California(Spirit),Steve Hunter(Lou Reed e Alice Cooper),Robby Krieger(The Doors),Steve Howe(Yes),Alvin Lee(Ten Years After),e Ian Akkerman(Focus),no projeto itinerante chamado"Night Of The Guitar Live!",inclusive com registro em vinil e CD pela I.R.S.

terça-feira, 28 de agosto de 2012

CLASSIC BOOTLEGS: Generator World Tour>Live In Huston,1988 - YES

FORMATO: CD Simples
ÁUDIO: Soundboard Stereo Recording

Em 1988,o Yes ainda cumpria as datas da Turnê Americana de "Big Generator",lançado um ano antes. Foi uma das mais longas excursões do grupo,que estava revitalizado com a presença do guitarrista Travor Rabin. Esta gig,foi a última antes que a banda desse um tempo de tres anos,retornando somente em 1991 com o disco e a tour Union. Rabin ficaria até 1994,devolvendo o posto de lead guitar do Yes para Steve Howe. Esta apresentação aconteceu no Arena Theatre na cidade de Huston no Texas,em 02 de Fevereiro de 1988.

Formação do Yes na época:

Jon Anderson: Lead Vocals,Acoustic Guitar,Harp
Chris Squire: Bass,Vocals
Travor Rabin: Acoustic Guitar,Electric Guitar,Vocals
Tony Keye:Keyboards
Alan White: Drums,Percussion

LENDAS DO ROCK: UK - A Perfeição britânica

O UK,foi formado em Londres no ano de 1977,contando com nomes importantíssimos do rock progressivo. Foi mais um dos chamados super grupos a conseguir admiração de público e crítica. Seus integrantes mesclavam elementos de Jazz e Rock Sinfônico. Sua formação original contava com:Bill Bruford(bateria,ex Yes,King Crimson),John Wetton(contrabaixo,ex Family,Roxy Music,King Crimson,Uriah Heep),Eddie Jobson(teclados e Violino,ex Roxy Music) e Allan Holdsworth(guitarra,ex Tempest,Nucleus,Soft Machine). Ao assinarem com a E.G. Records/Polydor,lançam de imediato o primeiro autointitulado álbum,gravado e mixado no Trident Stúdios na capital Inglesa. Embora lembrando o King Crimson em pouquíssimos detalhes,o UK focava suas composições no uso extremo de sintetizadores,cortesia de Eddie Jobson,além de estruturas musicais voltadas para o Jazz,especialidades de Allan Holdsworth e Bill Bruford. Após uma bem sucedida turnê com início pelos Estados Unidos,a banda sofre uma alteração com as saídas de Bruford e Holdsworth que retomaram o combo de Jazz Fusion que levava o nome do baterista(Bruford). Os remanescentes Eddie Jobson e John Wetton,convocam de imediato,Terry Bozzio(bateria,ex Frank Zappa). No exato momento de recrutar um guitarrista,eles decidem que os teclados de Jobson,poderiam perfeitamente suprir essa falta. Agora como um trio,o UK lança "Danger Money",um excelente álbum onde Terry Bozzio mostra serviço com uma técnica extraordinária em canções como: "Cesar's Palace Blues"e"Nothin To Loose". Mais uma vez a influência Kingcrimsoneana(da época de john Wetton) é aparente em "Rendezvous 6:02". Na sequência eles lançam o ao vivo "Night After Night" registrando momentos das apresentações no Japão, e trazendo duas músicas até então inéditas:"As Long As You Whant Me Here" e "Night After Night". Após executar todas as datas agendadas,eles ainda pensaram em gravar mais um disco,ideia abortada por Wetton que preferiu se dedicar full time, ao seu primeiro trabalho solo"Caught In The Crossfire"(1980),encerrando assim, as atividades de um super grupo britânico por excelência, até no nome.

Discografia Oficial de Álbuns do UK:

*UK - 1977(E.G/Polydor)
*Danger Money - 1978(E.G/Polydor)
*Night After Night - 1979(E.G/Polydor)
*Concert Classic,Vol 4 - 1999(Renaissance Records)
*Live In Boston - 1978(Universal)

Bootleg(Pirata)
*Parizian Rendezvous - 1979 (Ao vivo na França,CD Duplo).

Todos os discos do UK,estão disponiveis no formato digital

Nota: Com o final do UK,John Wetton formou o Asia,Eddie Jobson foi passar uma temporada no Jethro Tull,e Terry Bozzio montou ao lado de sua mulher,o grupo New Wave,Missing Persons.

Este ano, já houve uma espécie de reunião do UK com Wetton,Jobson e Bozzio.

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

ÁLBUNS CLÁSSICOS: Master Of Puppets - Metallica

Cliff Burton
ÁLBUM: Master Of Puppets
ARTISTA: Metallica
LANÇAMENTO: 03 de Março de 1986
PRODUTOR: Metallica e Flemming Rasmussen
SELO: Music For Nations

Em plena culminância do "NWOBHM". Quatro garotos americanos vindos de Los Angeles,começavam a despontar,trazendo uma nova vertente para o heavy metal. Trajando,jeans detonado,camisetas e tênis de cano longo,esses jovens começavam a crirar o que passamos a denominar de "Trash Metal"(antes "Speed Metal"). Chamados de Metallica,o grupo gravou seu primeiro LP oficial "Kill 'Em All", em 25 de Julho de 1983. Um disco com andamento aceleradíssimo,acompahado de riffs  e vocais super agressivos,esboçando letras até então,não usadas. Tres anos depois,eles lançam esse verdadeiro torpedaço,deixando qualquer headbanger incrédulo no que estava ouvindo. Palhetadas de guitarras em exagero com timbres atroadores. "Disposable Heroes",é pra te deixar à beira de um colápso auditivo. Na época, muito se investigou para descobrir de onde vinha tanta fúria de uma banda. Até que chegaram à conclusão de que,o segredo da porrada sonora do Metallica em "Master Of Puppets",não estava nos equipamentos que os caras usaram,mas sim na técnica e na vontade colossal de tocar da maneira como eles conceberam esse álbum. O LP serviu para consolidar o "Trash Metal",que ganhou outras variantes,tendo "Master Of Puppets",reinado único e incontestável.

FORMAÇÃO DA ÉPOCA:
James Hetfield: Guira-Vocals
Kirk Hammett: Guitar
Cliff Burton: Bass
Lars Ulrich: Drums

FAIXAS:
Battery
Master Of Puppets
The Thing That Should Not Be
Welcome Home(Sanitarium)
Disposable Heroes
Leper Messiah
Orion
Damage Inc.

Nota: Foi o último álbum com a participação do baixista Cliff Burton,morto em consequência de um acidente com o ônibus utilizado na turnê da banda.

domingo, 26 de agosto de 2012

Os Vinis de Rock e Suas Capas Polêmicas: Unfinished Music 1: Two Virgins - John Lennon & Yoko Ono

TÍTULO: Unfinished Music 1:Two Virgins
ARTISTA: John Lennon & Yoko Ono
LANÇAMENTO: 11 de Novemro de 1968
CAPA: John & Yoko
FOTOS: John & Yoko


Quém ouve "Imagine", imagina(já fazendo um trocadilho)john Lennon um cara amável,e super preocupado com o mundo. Só que não era bém assim,lennon agia como um ser humano comum,enfrentando seus medos,seus problemas de relacionamento,seu passado que o aterrorizava,seus vícios enfim,um sujeito hora porralouca,hora ensimesmado. Agora, uma coisa temos que admitir,John Winston Lennon,tinha de sobra: A irreverência,o sarcasmo,e uma magnífica inteligência. Isso tudo está presente no disco cujo as fotos impressas,foi um dos assuntos mais polêmicos do século XX. Conhecido apenas como Two Virgins,esse álbum lançado no final de 1968 pelo casal John & Yoko Lennon,traz o resultado de horas em que os dois se trancavam no estúdio para fazer experimentos sonoros. John adorava brincar com a mesa de 24 canais que os Beatles haviam adquirido para a Apple. Esse era realmente um trabalho vanguardista,sem intenção comercial nenhuma. A ironia já começa pelo título,tirado de uma idéia concebida por Lennon, partindo do princípio de que os dois,eram jovens inocentes,vivendo sem direção num mundo destruido por guerra,ganância,e poder. Mais interessante do que a obra propriamente dita,eram as fotos estampadas na capa e contra capa do LP. A EMI Inglesa e a Capitol Americana se recusaram em lançar o álbum por causa das fotografias apresentando nueza frontal do casal. Algumas edições como a japonesa por exemplo,saiu com um papel marron envolto,trazendo apenas um círculo oval vazado,mostrando somente as faces de John e Yoko. E as tais fotografias,quem as tirou? O próprio casal Lennon,produziu as sessões de fotos,no interior do apartamento do baterista Ringo Starr no bairro de Montagu Square em Londres. John e Yoko,usaram uma câmera automática com filmes em preto e branco. Em  Nova Jersey nos Estados Unidos,a polícia chegou à confiscar aproximadamente 30 mil cópias,apreendidas por obscenidade. Mais tarde,lennon faria a seguinte declaração:"Esse barulho todo com a capa de Two Virgins,não tem nada a ver com a nossa nudez,e sim pelo simples fato de saírmos nas fotos,um pouco acima do peso". Típico de John Lennon.


ROCK 'N' CINE: VANISHING POINT - 1971

DIRETOR: Richard C.Serafian
PRODUTOR: Norman Spencer
ESTÚDIO: 20Th Century Fox
DURAÇÃO: 107 Minutos


O casal Delaney And Bonnie,aparece em várias cenas interpretando canções Godspell,ladeados de jovens seguidores. Enquanto isso,a polícia persegue o motorista Jimmy Kowalsk(Berry Newman) ex fuzileiro no vietnã,ex policial demitido e ex piloto de corridas,que em altíssima velocidade,tenta atravessar o oeste americano,fugindo para Salt Lake City dentro de um Dodge Challenger. A trilha sonora conta entre outros com: Sam & Dave,Big Mama Thornton,Mountain,Jimmy Walker,Jerry Reed,Bobby Doyle e J.B. Pickers com a música "Freedom Expression",até hoje conhecidíssima no Brasil,como tema de abertura do programa "Globo Reporter" da Rede Globo de Televisão. Entre nós,o filme se chamou "Corrida Contra o Destino".

sábado, 25 de agosto de 2012

CLASSIC BOOTLEGS: Traffic - Woodstock Festival 2,1994

FORMATO:  CD Simples
ÁUDIO: Soundboard Stereo Recording


Em 1994,Steve Winwood e Jim Capaldi(1944-2005),tentaram reacender às chamas do saudoso Traffic,lançando o CD "Far From Home". Aproveitando o revival do Festival de Woodsrock nesse mesmo ano,a dupla foi escalada e se apresentou logo no primeiro dia da segunda edição do evento. Winwood e Capaldi,cercaram-se de alguns jovens e talentosos músicos-afora o baixista Rosco Gee,que já havia tocado com o Traffic nos anos setenta-para reviverem em pouco mais de uma hora de apresentação,alguns dos melhores momentos de uma das maiores bandas que o rock and roll já produziu. Aliás,o Traffic não era somente rock,sua música tinha elementos de:Blues,Jazz,Afro,Folk,e Rock,e a vóz de Steve Winwood,ainda hoje encanta quando se ouve-segundo um crítico,o cantor seria capaz de interpretar uma lista telefônica inteira,que ninguém se cançaria de ouvir. O show foi realizado no dia 13 de Agosto de 1994. Olhem o que eles tocaram:"Pearly Queen","Medicated Good","Rock And Roll Stew"(uma das minhas preferidas),"Mozambique","The Low Sparks Of High Heeled Boys", "Glad/Freedom Rider","Empty Pages","Light Up Or Live Alone","Dear Mr. Fantasy",e "Gimme Some Livin"(original do Spencer Davis Group,banda que lançou o garoto Steve Winwood).

Formação:
Steve Winwood: Orgão Hammond,Fender Rhodes Piano,Guitarra,Vocals
Jim Capaldi: Drums,Vocals
Rosco Gee: Fender Jazz Precision Bass

With:
Mike McCvoy: Guitar,Keyboards,Backing Vocals
Randal Bramlett: Saxophone,Harmonica,Keyboards
Walfredo Reyes: Percussion

Nota: "Rock And Roll Stew" e "Light Up Or Live Alone",tiveram vocal solo de Jim Capaldi.
O excepcional guitarrista Dave Mason,um dos fundadores do Traffic,foi convidado para essa reunião,entretanto não pode aceitar o convite pôr estar em turnê com sua banda.

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

CONHEÇA: RIVAL SONS

Quarteto formado na cidade de Los Angeles em junho de 2008,o Rival Sons(Filhos Rivais),traz na bagagem,o hard rock setentista com bebedeira na fonte do Led Zeppelin e do Humble Pie. Até o final de 2009,esses caras ainda não haviam conseguido nenhum contrato com gravadora alguma. Isso só viria a acontecer no ano seguinte,quando eles foram descobertos pelo selo Inglês Earache Records, através da sucursal Americana. Sem perder tempo, eles gravam e lançam de imediato "Before The Fire" impulsionado pelo single "Tell Me Something",que lidera às paradas. Em 2011,a banda coloca no mercado,o segundo trabalho "Pressure & Time". Um disco feito às pressas,em 20 dias para ser mais exato,mas com um resultado super satisfatório,trazendo o hit "Get Mine". Um detalhe muito importante. A arte gráfica desse CD,foi elaborada por Storm Thorgerson dono da landária Hipgnosis(famosa nos anos setenta por realizar capas para: Pink Floyd,Genesis,Led Zeppelin,UFO,10cc,Etc). Ainda nesse mesmo ano,o Rival Sons,participa de duas coletâneas ao lado de outras novas bandas. Com à fama encostando,os rapazes passam a abrir na América, os shows de, Alice Cooper,AC/DC,Kiss,e em seguida,partem para uma excursão pelo Reino Unido, onde se apresentam ao lado do Judas Priest no "High Voltage Festival". Agora no mes de agosto,acabou de sair o mais novo trabalho "Head Down", e a turma já está numa gig novamente pelos Estados Unidos,junto com outra bandaça,o Black Stone Cherry.

Formação:
Jay Buchanan: Lead Vocals
Scott Holiday: Guitar,Vocals
Robin Everhart: Bass,Vocals
Michael Miley: Drums

Discografia:
Before The Fire - 2010/Earache Records
Pressure & Time - 2011/Earache Records
Head Down - 2012/Earache Records

EP:
Rival Sons - 2011/Earache Records


 

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

SINGLES COLLECTORS: Sheena is a punk rocker - Ramones


TÍTULO: Sheena Is A Punk Rocker
LADO B: I Don't Care
ARTISTA: Ramones
COMPOSITORES: Ramones
PRODUTORES: Tony Bongiovi & T. Erdelyi
LANÇAMENTO: Julho de 1977
SELO: Sire
CONSTA NO ÁLBUM: Rocket To Russia


Este compácto dos Ramones,foi gravado com duas versões diferentes.A primeira trata-se de um promo para às rádios, que acabou virando um grande hit. A segunda versão,passou por algumas alterações técnicas,foi incluída no álbum"Rocket To Russia" e comercialmente lançada em single. A letra da música é uma brincadeira com a personagem de HQ Sheena,a rainha das selvas,que segundo o vocalista Joey Ramone,Sheena era uma roqueira punk. Também tem uma outra historinha que dizia ser Sheena,uma ex namorada do baterista Tommy Ramone. O certo é que o resultado dessa brincadeira,acabou influenciando as garotas da cidade de nova yorque que passaram a se identificar com o nome da heroina.

Rock,A História: Anarchy In The UK. A fúria do punk rock

No finalzinho de 1975,qualquer emissôra de rádio em Londres,tocava praticamente o dia inteiro:Pink Floyd,Rick Wakeman,Genesis,Yes,Emerson, Lake and Palmer,enfim a nata do rock progressivo. Enquanto isso,uma turma de garotos moradores nos subúrbios de Londres,resolveu virar tudo de cabeça para baixo e devolver a rebeldia ao rock and roll. Foi mais ou menos dessa forma que surgiu o punk rock. Eses jovens, filhos de proletários,morriam de tédio quando assistiam o casal Elton John e Kiki Dee,cantando no Top of the Pops, "Don't Go Breaking My Heart" e precisavam a qualquer custo de uma válvula de escape para pôr um basta na mesmice que o rock 'n' roll vinha apresentando. Os grandes ídolos já passavam dos 30 anos de idade,e a juventude Inglesa naquela ocasião,carecia de sangue novo. Mick Jagger já havia profetizado alguns anos antes,que não pretendia envelhecer cantando numa banda de rock. O Pontapé inicial para o início do movimento na Inglaterra,foi dado por um sujeito maluco de cabelo ruivo chamado Malcolm McLaren,um cara muito esperto, dono de um brechó,de uma loja de sex shop e se dizia empresário do grupo americano "New York Dolls" em final de carreira. McLaren totalmente atraido pelo som das bandas que se apresentavam no lendário CBGB em Nova Yorque,resolveu que montaria um grupo nos mesmos moldes. Ao retornar para Londres,começou a arquitetar tal projeto,e numa tarde,conheceu em sua loja de roupas usadas,um rapaz de aparência totalmente bizarra. O cara tinha os dentes podres,o cabelo estava pintado de vermelho e o efebo vestia uma camiseta com uma estampa do Pink Floyd,e sobre a tal estampa pintado à grosso modo,estava a seguinte frase:"Eu Odeio Pink Floyd". Foi o estalo que Malcolm McLaren precisava. Com anuncios em jornais e fanzines,os outros músicos foram recrutados e cientes logo no primeiro ensaio que,tudo que eles realmente iriam precisar era de tres acordes e uma lingua afiadíssima para transfromar suas letras em protestos contra a desigualdade social,o desemprego,o racismo,enfim toda a fervura pela qual passava o reino unido. Em homenagem à uma de suas lojas,McLaren batizou seus novos comandados de Sex Pistols. Às roupas,e todo aqueles aprestos,foram inspirados em vestuários vendidos no brechó de Malcolm. Na metade de 1976,o Sex Pistols já era uma realidade com o punk rock vivendo os seus melhores dias conjuntamente com outros grupos que iam surgindo:The Clash(antes 101 Ers),The Damned,The Vibrators,Stiff Little Fingers,Buzzcocks,Etc. A fúria punk,literalmente já dominava a Inglaterra.
Enquanto isso,nos Estados Unidos:Ramones,Television,Patti Smith,Richard Hell & The Voidoids,incendiavam o CBGB. Era o rock and roll se rebelando novamente.

Discografia Básica:

Never Mind and The Bollocks Here's The...: Sex Pistols - 1977/Virgin

Damned,Damned,Damned: Damned - 1977/Stiff Records

Pure Mania: The Vibrators - 1977/Epic

Rocket To Russia: Ramones - 1977Sire

Marquee Moon: Television -  1977/Elektra

Give 'Em Enough Hope: The Clash - 1978/CBS

Inflamabel Material: - Stiff Little Fingers - 1979/Rough Trade Records

Singles Going Steady: Buzzcocks(Compilação) - 1979/Liberty Records

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

TESOURO ENCONTRADO: If It Was So Simple - Longdancer,1973

Lembro muito bem,quando ouvi o Longdancer pela primeira vez,foi paixão certeira. As músicas são simples e os vocais bem trabalhados com harmonias em tres,quatro vozes. O grupo agrada logo na primeira audição apresentando um folk rock que lembra bastante Crosby,Stills,Nash & Young e os primeiros discos do America. Dos quatro integrantes do Longdancer,um se tornaria conhecidíssimo nos anos oitenta,me refiro ao guitarrista David Stewart,aquele mesmo do casal Eurythmics. Esse excelente quarteto não durou muito,lançou apenas dois álbuns sendo este,o primeiro e uma obra valiosíssima ainda descoberta por poucos. As músicas "Silent Emotions","Don't Turn Out Lights", "Too Much Too Soon",além da canção título,estão entre as melhores,apesar de que,torna-se obrigatório ouvir o disco da primeira à última faixa,para que se possa ter uma idéia dos arranjos preciosos de violões,guitarras e teclados. O Longdancer não tinha baterista fixo,função esta atribuida à Dave Mattacks e Roger Powell que se revezavam nos estúdios e nas turnês. Durante a gravação do LP,participaram como convidados:Tony Ashton(Teclados),Bob Ronga(Baixo) e Andy Roberts(Dulcimer). Apesar de um estilo rock americano,o Longdancer é original da Inglaterra. A produção desse trabalho foi de Ian Matthews e Sandy Robertson,lançado originalmente em 1973 pela Rocket Records de propriedade de Elton John com distribuição da MCA. Sempre que coloco esse disco pra ouvir,me recordo do brother Heitor Meneses que tinha essa pérola e eu vivia pegando emprestado e passava uma eternidade pra devolver.


Original Released: 1973
Rocket Records/MCA

Line Up:
David A. Stewart:Acoustic Guitar-Bass-Vocals
Kai Olsson:Acoustic Guitar-Vocals
Steve Proxton:Acoustic and Electric Guitar-Vocals
Brian Harrison:Piano-Bass-Acoustic and Electric guitar-Vocals

Nota: Esse disco ainda não existe em formato digital



terça-feira, 21 de agosto de 2012

TOP TEN:10 Guitarristas fora de série e fora de qualquer lista

 Em fevereiro desse ano,a revista Rolling Stone editou no número 65,uma lista(mais uma)com os 100 maiores guitarristas de todos os tempos. Toda lista há controvérsias e estão aí para serem contestadas. Nessa nova listinha da conceituada revista,encontramos verdadeiros absurdos na posição em que estão colocados esses grandes músicos. Qual jornalista da área musical-especialista em rock 'n' roll-em sã consciência,deixaria Carlos Santana em 21º lugar,Randy Rhodes em 36º,a guitarra lisérgica de Jerry Garcia na 46ª posição e o grande Ritchie Blackmore se contentando com uma simples 50ª colocação?. Nessa mesma edição,Robert Fripp do King Crimson,ocupou a 62ª
posição,Dickey Betts a 61ª e Johnny Winter a 63ª. Isso sem mencionar nomes que se quer foram lembrados como: Steve Hackett,Neil Schon,Alvin Lee,Frank Sampedro,Micky Moody,Gary Moore,Scott Gorham e tantos outros. E quém disse que Bruce Springsteen,Prince,John Lennon,Lou Reed,Willie Nelson(cantor country brega)Kurt Cobain e Steve Jones,são guitarristas por excelência?. Realmente não deu pra entender. Mesmo ciente do(s) critério(s) adotado(s),na minha opinião,os primeiros nomes que descrevi devariam ocupar no mínimo os 20 primeiros postos ao lado de Jimi Hendrix,Jimmy Page,Eric Clapton,Jeff Beck e Eddie Van Hallen. Indo na contramão o blog Somtres,relacionou 10 guitarristas extraordinários que jamais frequentaram quaisquer listinhas enfadonhas de melhores disso ou daquilo e são tão bons quanto qualquer outro acostumado a fazer parte de qualquer relação com os maiores do mundo. Se bem que isso,pouco importa para esses grandes mestres das seis cordas.

ALVIN LEE: Fundador do Ten Years After,Alvin Lee foi um virtuoso em sua época com solos rápidos saidos da sua Gibson 335.

DAVE MASON: Mason fez parte da primeira formação do Traffic.Saiu para uma carreira solo onde teria espaço para desenvolver sua técnica com maior liberdade. Tocou em discos de Jimi Hendrix,Cass Elliot,Crosby & Nash e vários outros.

BOBBY WELCH(1946-2012): Bob entrou no Fleetwood Mac,substituindo Peter Green. Com ele o grupo passaou a investir mais no rock.

JORMA KAUKONEN: Jorma possui um timbre bastante particular,era a parte viajante do Jefferson Airplane. Saiu para fazer dupla com o baixista Jack Kasady no Hot Tuna.

RICK DERRINGER: Seu nome verdadeiro é Rick Zerringer,e fez um enorme sucesso com o grupo The McCoys. Mas Rick ficou famoso mesmo nos anos setenta quando começou a colaborar com os irmãos Johnny e Edgar Winter.

6º  TED TURNER: Foi até 1974,parceirão de Andy Powell no Wishbone Ash com quém ajudou a popularizar os solos com guitarras gêmeas.

RONNIE MONTROSE(1947-2012): Outro grande colaborador dos irmãos Winter. Montrose arrasou no disco "They Only Come Out At Night" do Edgar Winter Group. Ouça "Frankstain".

BRIAN ROBERTSON: Robertson foi brilhante quando passou pelo Thin Lizzy. Os melhores registros fonográficos do grupo,tinham Brian Robertson fazendo dupla com Scott Gorham em solos memoráveis.

ROD PRICE(1947-2005): Um dos gênios da slide guitar,esse guitarrista que fez parte do Lendário "The Black Cat Bones",só é lembrado quando se fala em outra lenda chamada Foghat. merecia um melhor reconhecimento.

10º BERNIE MARSDEN: Quém não lembra da dupla Marsden e Moore nos bons tempos do Whitesnake?. A guitarra bluseira de Bernie Marsden,jamais foi substituida na banda de Coverdale,mesmo tendo por lá habitado um verdadeiro ninho de cobras como:Steve Vai,Adrian Vandenberg,John Sykes,Mel Galley e Vivian Campbel.

domingo, 19 de agosto de 2012

TESOURO ENCONTRADO: WARHORSE - RED SEA/1972

A história do Warhorse começa em 1969,quando o baixista Nick Simper foi demitido do Deep Purple para que Roger Glover assumisse o seu posto. Mediante um estranho acordo entre Simper,John Lord(1941-2012),Ritchie Blackmore e Ian Paice,ficou acertado que o baixista destituído abriria mão dos royalties que tinha direito pela participação nos tres primeiros discos do Deep Purple,em troca de alguns equipamentos usados. No dia seguinte Simper com a anuência de todos, encostou uma pick up em frente ao porão onde estava guardada toda a parafernália do Purple e saiu de lá com alguns amplificadores,um kit de bateria da Ludwig,e um velho orgão hammond. Simper encontrou Blackmore, e jurou ao ex colega que montaria uma banda tão boa quando a dele,e montou. Com a adesão dos novos amigos Jed Peck(Guitarra),Ashley Holt(Vocais)Malcolm Poole(Bateria),Frank Wilson(Orgão e Piano),Simper montou o Warhorse. A semelhança com o Deep Purple não poderia ser evitada. O primeiro álbum que tem o nome da banda,lançado em 1970,realmente trai qualquer um desavisado. Mas "Red Sea",já mostra o Warhorse com identidade própria,fazendo um rock pesado onde os teclados-aí sim chega a lembrar o Deep Purple- servem de guia,nas introduções,nos solos e durante o andamento de cada faixa. "Red Sea",foi lançado originalmente em 1972,pela vertigo,(lembro perfeitamente daquele selo com desenhos em círculos que nos fazia ficar com tontura enquanto olhávamos o LP girando no toca-disco). Logo na primeira faixa que tem o mesmo nome do álbum,você é pego de surpresa com a introdução de viradas de caixa;um baixão super potente que aguarda a entrada do intro solo do guitarrista, e o excelente vocal de Ashley Holt,isso tudo com o hammond cortando os espaços. Na sequência vem "Back In Time","Confident But Wrong",um rockão a base de piano fender rhodes, e a genial "Sybilla" que inicia com levadas de baixo,bumbo e caixa e mais uma vez o orgão hammond fazendo às honras numa cadência entrosadíssima. O álbum ainda conta com "Mouthpiece"(onde o baterista Malcolm Poole mostra serviço), e encerra com "I(Who Have Nothing)". Infelizmente o warhorse encerrou a carreira depois de "Red Sea". Quanto a Nick Simper,nada se soube mais desse grande baixista,mas pelo manos ele cumpriu a promessa que havia feito à Ritchie Blackmore. Formou uma boa banda,que por certo teria ficado famosa tanto quanto o Deep Purple.

"Red Sea" foi lançado em formato digital a partir de 1990,com algumas edições especiais trazendo vários bonus. Disponivel nos seguintes mercados: Inglês,Italiano e Japones.

O álbum foi lançado no Brasil,e chegou a fazer a cabeça da moçada(inclusive a minha). A edição nacional era"pasmem" idêntica à Inglesa,com capa dupla e o selo original da Vertigo.

Não se tem certeza se Nick Simper se arrependeu de ter abdicado os royalties dos tres primeiros discos do Deep Purple(que hoje valem uma fortuna),em troca dos equipamentos usados.

Os rostos dos integrantes do warhorse na capa do disco imitando uma carranca,chega a lembrar a arte gráfica do álbum Fireball do Deep Purple,lançado um ano antes.

LENDAS DO ROCK: BBM-BRUCE,BAKER,MOORE,OU SERIA UM NOVO CREAM?

Capa de "Around The Next Dream" com Baker puxando um fumo


Por volta de 1993,o baixista Jack Bruce,tentou a todo custo reunir o  lendário Cream. Mancomunado com o baterista Ginger Baker,Bruce fez o convite para Eric Clapton que colocou uma condição. Clapton sugeriu que essa reunião, fosse chamada de Eric Clapton & Cream para que ele pudesse ter total controle sobre o trabalho. Jack Bruce,olhou firme nos olhos de Clapton,mandou o guitarrista se foder,e convocou o Irlandês Gary Moore,conhecido por sua colaboração com o Thin Lizzy,e seu estilo voltado para o hard rock e heavy metal. Surgia o BBM(Bruce,Baker,Moore). Passam algum tempo compondo e ensaiando,principalmente as músicas que Moore ainda não conhecia,fazem algumas pequenas apresentações na Alemanha,Escócia,e retornam à Londres onde assinam contrato com a Virgin Records. No início de 1994,lançam "Around The Next Dream",único CD oficial à registrar esse encontro de verdadeiras feras. O disco traz Ginger Baker posando na capa num combinado de anjo com degenerado no exato momento em que todo de preto,puxa um trago do seu cigarro favorito. É claro que nesse super grupo ou super power trio,ninguém tem tendência angelical,na realidade eles reencarnaram o som pesado do Cream em canções onde o combustivel principal é o R&B. Nos concertos,clássicos imortalizados pelo Cream foram recriados com Bruce,Baker e Moore dando show em seus respectivos instrumentos.
Ao convocar Ginger Baker,começamos a ensaiar de imediato com um guitarrista improvisado,e tudo foi muito claro,a velha química de antes,ainda existia,declarou Bruce após o final da banda. O baixista ainda comentou que entendeu perfeitamente o lado de Eric Clapton,todos nós temos nossas concessões admitiu,e foi mais longe em suas declarações.  O Bruce,Baker,Moore, serviu também para mostrar à essa garotada como se faz rock 'n' roll com guitarra,baixo e bateria sem precisar de sintetizadores ou então ficar gritando diante de um microfone. Bruce encerrou brilhantemente o discurso,afirmando que no Cream, o grande lance era o improviso,uma palavra que segundo ele estva(e continua)fora de moda. Nenhum de nós tinha a intenção de tocar nos palcos,as mesmas versões das músicas registradas nos discos(realmente assim era o Cream). O BBA,durou pouquíssimo tempo(encerrou suas atividades em Julho de 1994). Um disco apenas,algumas turnês pela europa,e nada mais que isso. Em compensação,esses caras-dois deles já setentões,Ginger Baker por coincidência faz aniversário hoje 19/08-provaram que rock 'n' roll de verdade,é feito quando se tem competência para tal. Com o desmembramento do BBA,Jack Bruce e Ginger Baker,retornaram às suas bandas de jazzrock. Gary Moore,passou a gravar discos voltados para o blues,vindo a falecer em Málaga na espanha no dia 06/02/2011,vítima de um suposto ataque cardiáco.

Nota: O Cream com sua formação original(dessa vez Eric Clapton aceitou o convite),reuniu-se em 2005 para uma série de shows no magestoso Royal Albert Hall Theatre. Por sinal local onde o trio fez seu concerto de despadida em 1969,o inesquecível "The Farewell Concert".

Discografia do BBA
Around The Next Dream - 1994/Virgin
Where In The World - 1994/Virgin(trata-se de um EP)
Bootlegs
Barrowlands - 1994 (Duplo ao vivo em Glasgow)
Live At Rockpalast - Novembro de 1993

Formação:
Jack Bruce: Baixo e Vocais
Ginger Baker: Bateria
Gary Moore: Guitarra e Vocais

sábado, 18 de agosto de 2012

CLASSIC BOOTLEGS:Woodstock Festival 1994-The Allman Brothers Band

Add caption
FORMATO: CD Duplo
ÁUDIO: FM Broadcast Recording


Em 1994,houve um revival do festival de woodstock em comemoração ao 25º aniversário de realização do evento original. Entre as atrações de momento como:Blind Melon,Metallica,Primus,Red Hot Chilli Peppers,Green Day e Nine Inch Nails,estavam também nomes consagrados:Peter Gabriel,Santana,Joe Cocker(os dois últimos foram atrações na primeira realização em 1969),e a genial The Allman Brothers Band que encerrou o festival com um show memorável. A banda ainda contava com um dos maiores slide guitar do rock, me refiro a Dickey Betts. Um set list de primeira foi executado,não faltando é claro,as composições imortais desses veteranos representantes do Southern Rock. Acredito que essa segunda edição do Woodstock,acertou ao escalar o The Allman Brothers Band,coisa que eles deveriam ter feito na primeira,quando os brothers ainda tinham Duane Allman duelando com Betts. Esta apresentação,aconteceu no dia 14 de Agosto de 1994,transmitida com exclusividade pela WPLR FM.

Formação na época:

Gregg Allman: Organ,Vocals
Dickey Betts: Guitar,Slide Guitar,Vocals
Warren Haynes: Guitar,Slide Guitar,Vocals
Allen Wood: Bass
Marc Quinones: Percussion
Butch Trucks: Drums
Jaimoe: Drums


sexta-feira, 17 de agosto de 2012

ÁLBUNS CLÁSSICOS: A Passion Play - Jethro Tull

Jethro Tull na época de A Passion Play


ÁLBUM: A Passion Play
ARTISTA: Jehtro Tull
LANÇAMENTO: 06 de Julho de 1973
PRODUTOR: Jethro Tull
SELO: Chrysalis


No final de 1972,Ian Anderson estava bastante entusiasmado com os excelentes resultados obtidos pelo álbum "Thick As A Brick". Por determinação da Chrysalis Records, e até mesmo seguindo sua intuição,o lider do Jethro Tull,pretendia fazer algo semelhante no trabalho seguinte. Anderson pegou sua turma e se mandou para a Suíça onde alugou por um mes inteiro,o "Chateu D'Herouville Estúdio". Na realidade a fuga serviu também para que o músico se livrasse do imposto de renda Inglês,que vinha metendo a mão nos bolsos dos roqueiros,e tentando embair os homens da receita federal Inglesa,alguns grupos no início dos anos setenta,tentaram produzir seus discos em outros países-Exile On Main Street(72)dos Rolling Stones,foi um exemplo claríssimo. Ian Anderson,já havia planejado o que de fato seria "A Passion Play",mas nada do que estava nos planos,realmente aconteceu. Primeiro foi a total falta de condições técnicas do estúdio,que não oferecia nenhum requisito para a gravação de um LP elaboradíssimo conforme o previsto. Por outro lado,o clima entre os músicos não estava nada bém,eles se sentiam como se estivessem fugindo de alguém-o que na realidade era verdade,se esquivavam dos impostos. Mesmo assim,começaram os trabalhos com sessões de gravação que varavam madrugada à dentro. Depois dos takes todos concluídos,foi a vez dos diretores da Chrysalis,meterem o bedelho achando que as composições estavam fraquíssimas,nem de perto lembrava"Thick  As A Brick",e para completar,os engenheiros de som alegaram que o resultado apresentava uma péssima qualidade sonora. Com todos esses embaraços,O Jethro Tull,foi obrigado a retornar para Londres,e refazer todo o disco que ficou parecendo um conjunto de músicas fragmentadas. Finalmente "A Passion Play" foi lançado no dia 06 de Julho de 1973,se tornando o registro vinílico do grupo que mais críticas negativas recebeu. Ian Anderson ficou tão puto,que passou mais de um ano consecutivo,sem falar com os jornalistas especializados. Vinte anos depois,as fitas com às gravações originais das sessões no "Chateu D'Herouville",foram lançadas num CD duplo chamado "Night Cup:Unreleased Masters 1973-1991". A versão primitiva abortada de "A Passion Play",ocupa todo o primeiro disco,e realmente ao ouvir tais registros,se chega a conclusão de que os diretores,produtores e engenheiros da Chrysalis,pisaram na bola ao anular esses takes. Trata-se de uma obra maravilhosa que retrata um dos períodos mais férteis e brilhantes do Jehtro Tull. Um outra novidade,é a presença constante do saxofone. Ian Anderson andava deslumbrado pelo instrumento que ele parece ter esquecido com o tempo. "A Passin Play"contém outros detalhes importantes como por exemplo,a parte literária das canções,abrangindo de maneira mordaz,a existência da vida após a morte. Na verdade,"A Passion Play" é um feito único,complicado,misterioso,mas considerado até hoje,uma das mais fascinantes obras do Jethro Tull.

Notas: O Lp não chegou a frequentar às paradas,sendo um fracasso nas vendagens,o que obrigou o Jethro Tull a gravar de imediato outro disco"War Child"(1974).

 A partir de 1989,o disco teve suas primeiras edições em CD,disponivel nos mercados:UK,EUA,Europa,e Japão.


Formação do Jethro Tull na época:
Ian Anderson:Violões,Flauta,saxofone e Vocais
Martin Barre:Guitarras
John Evan:Teclados
Jeffrey Hammond Hammond:Baixo
Barriemore Barlow:Bateria

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

CONHEÇA: TADDY PORTER

Há mais de uma década que os Americanos vem mandando sozinhos no rock and roll. A Inglaterra que por muito foi soberana,atualmente produz uma música pop de qualidade duvidosa desprovida da grandeza que costumávamos curtir nos anos 60,70.e 80. Para comprovar o que digo,vos apresento os meninos do Taddy Porter. Formada em 2007 na cidade de Stillwater/Oklahoma,a banda conta com os seguintes músicos: Doug Jones(Bateria),Andy Brewer(Guitarra,Vocais),Joe Selby(Guitarra Solo),e Kevin Jones(Baixo). O curioso é que o nome do grupo,foi colado de uma marca famosa de cerveja,a qual os rapazes nunca haviam provado o sabor,isso porque quando eram colegas de escola,jamais poderam pagar por uma garrafa. Por decisão pactual,os amigos juraram que depois de famosos,nunca beberiam a tal cerveja,e para não esquecer o acordo feito,batizaram o grupo com o nome da saborosa bebida. O Taddy Porter lançou seu primeiro e único álbum em 2010. Os caras chegaram para fazer o que o The Black Crowes e o Cry Of Love fizeram nos anos noventa. rock and roll com pegada setentista que vai de Bad Company a The Allman Brothers Band. O álbum homônimo está repleto de canções enraizadas no blues e no southern rock,faixas como "Big Enouth","Shake Me","Long Slow Drag",e "Railroad Queen",estão bem construidas e não deixam dúvidas a respeito da competência desse quarteto. Durante as turnês,eles costumam declarar que nas apresentações,não pode faltar no backstage uma garrafa de whisky para encher a cara,e outra vazia para usar como slide.

Discografia:

Taddy Porter - 2010/Primary Wave

The Monocle - 2007/Primary Wave(EP)

SINGLES COLLECTORS: My Sweet Lord - George Harrison

TÍTULO: My Sweet Lord
LADO B: Isn't It A Pity
ARTISTA: George Harrison
COMPOSIÇÃO: George Harrison
PRODUTORES: Gerorge Harrison,Phil Spector
LANÇAMENTO: 23 de Novembro de 1970
SELO: Apple
CONSTA NO ÁLBUM: All Things Must Pass


Sem dúvida,foi o maior sucesso do saudoso George Harrison. Em "My Sweet Lord",o guitarrista já mostrava pleno domínio com a guitarra slide,versejando uma prece de adoração à Krishna,com belos e lacrimejantes solos. Algum tempo depois,a canção foi acusada de plágio pois é idêntica a "He's So Fine" do obscuro grupo femenino The Chiffons. Ao perceber tal semelhança,o ardiloso Allen Klein,ex empresário dos Beatles,comprou por uma bagatela os direitos autorais da núsica, e em seguida processou Harrison em mais de 500 mil dólares. Depois do episódio,George Harrison se dizia receoso ao pegar numa guitarra para compor algo que poderia pertencer a alguém. Seis anos depois ao lançar o disco 33&1/3,Harrison relatava de maneira irônica o acontecido,interpretando "This Song". O Compácto de "My Sweet Lord" ficou por 14 semanas grudado no primeiro lugar do Cash Box.

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

ROCK 'N' CINE: URGH! A MUSIC WAR - 1981

Cartaz original do filme

DIRETOR: Derek Burbidge
PRODUTOR: Michael White
ESTÚDIO: Lorimar
TRILHA SONORA: A&M
DURAÇÃO: 123 Minutos


Um quadro perfeito do rock'n' roll feito no início dos anos oitenta.São mais de 30 bandas de punk,reggae,Psychobilly,e new wave, sendo focalizadas em apresentações ao vivo,tocando nos Estados Unidos,França e Inglaterra.
Cada grupo,toca somente uma música,com exceção do The Police que apresenta duas canções. Um megashow com: Gary Numan,Devo,Pere Ubu,Toyah Wilcox,Au Paris,The Police,Gang Of Four,X,Echo & The Bunymen,XTC,Dead Kennedy,John Cooper,The Cramps,Joan Jett,Oingo Boingo,Steel Pulse,UB40,e outros mais.

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

ROCK,A HISTÓRIA: O Lendário Electric Ladyland Studios-O Templo de Jimi Hendrix

Até o final de 1968,Jimi Hendrix já havia desembolsado mais de 300 mil dólares com aluguel de estúdios para ensaios e gravações. Tais gastos seriam evitados se o guitarrista tivesse um estúdio próprio. Nesse mesmo ano Jimi Hendrix e seu empresário espertalhão Mike Jeffrey,haviam comprado um antigo prédio onde funcionava um clube chamado "Generation",localizado no centro da cidade de Nova York. Anteriormente no local funcionava um salão de bailes. Hendrix e Jefrrey,haviam planejado manter o local funcionando como uma espécie de boate. A idéia de transformar o espaço num estúdio surgiu de Jim Marron(um amigo particular). Marron convenceu o guitarrista e seu empresário de que construindo um moderno espaço de gravação,não só economizariam uma imensa fortuna,como ainda ganhariam uma boa grana,aliando a isso o fato de que Jimi Hendrix quando não estava em turnês,passava o dia todo metido dentro de um estúdio ensaiando,gravando,e experimentando. O amigo Jim Marron de imediato telefonou para o arquiteto John Storyk-que já havia concluido o projeto para a boate-e comunicou sobre a mudança nos planos. Orçamentado em 250 mil dólares,a construção do Electric Ladyland que iniciou em julho de 1969,foi concluido um ano depois com as despesas passando de um milhão de dólares. Às vendas do álbum também chamado de Electric Ladyland,deveriam financiar todo os gastos,mas muito antes da conclusão da construção do estúdio,a gravadora já havia concedido por conta,um adiantamento de 500 mil dólares para Jimi Hendrix. Mike Jeffrey também contribuiu vendendo uma casa de sua propriedade,mesmo assim,o dinheiro não era o suficiênte,sempre estava faltando grana para o investimento. Hendrix então resolveu,aceitar tudo quanto foi contrato,realizando shows sem parar,tudo isso para descolar muitos dólares e terminar logo o projeto. Jimi Hendrix com sua mania detalhista,exigia que os cantos das paredes fossem construidos em curvas bém acentuadas para eliminar o barulho que vinha da "Subway Greenwich Village West 4th Street Station", ou seja,uma estação de metrô que fica bém próximo. Essa exigência de Hendrix,acabou num trabalho redobrado dos operários que destruiram uma parede protetora de um riacho que vertia um volume muito grande de água por baixo do prédio,o que acabou atrasando as obras por tres meses para que a planta e toda a arquitetura fosse refeita. Na realidade Hendrix adorava trabalhar próximo de algum lugar onde tivesse água. Ainda hoje,alguns músicos famosos,defendem a tese de que um estúdio nas mediações de um córrego,sofre uma ótima influência na acústica. Em 1977,o tal riacho acabou inundando o Electric Ladyland,obrigando o providenciamento de bombas de sucção para inibir novamente esse tipo de problema. Em termos de design,o Electric Ladyland,era o melhor da época,foi o primeiro a utilizar uma mesa de 24 canais e ainta havia disponibilidade para mais 20 mesas equivalentes. Quando Hendrix veio a falecer,o estúdio vinha funcionando com uma mesa de som,contando apenas com 16 canais. O Electric Ladyland,foi oficialmente inaugurado no dia 27 de Agosto de 1970-apesar de concluido muito antes-com uma big festa,e vários convidados ilustres. Hendrix não pode ficar até o final das comemorações,tivera que sair correndo rumo ao aeroporto e embarcar para mais uma turnê pela Inglaterra,foi a última vez que Jimi Hendrix viu seu estúdio. O guitarrista morreu no dia 18 de Setembro do mesmo ano.


Curiosidades:


O Electric Ladyland é bastante amplo,suas salas são imensas. Os corredores continuam decorados com pinturas psicodélicas.

O estúdio "A",possui  duas mesas de 24 canais. O estúdio "B" que é bém menor,possui somente uma mesa de gravação.

No último andar,onde Jimi Hendrix praticamente morava,foi transformado no estúdio "C",que também possui uma mesa de 24 canais. Em todos os estúdios,estão a disposição uma variadade de instrumentos,e equipamentos.

O Electric Ladyland Possui ainda:salas de recepção,descanço,e recreação.Também tem lanchonete, e quatro banheiros.

Reza a landa que após a morte de Jimi Hendrix,ninguém tinha coragem de entrar no Electric Ladyland. O cantor Steve Wonder, arrendou o estúdio por um ano onde trabalhou seu álbum "Talking Book".

Alguns Famosos que já utilizaram o Electric Ladyland Studios:AC/DC,Aerosmith,Iron Maiden,Led Zeppelin,Van Halen,Foreigner,Kiss,Steve Wonder,The Rolling Stones, e muitos outros.

Endereço: West 8th Street-Greenwtch Village,New Yoyk City

Dizem também,que os solos do mestre Jimi Hendrix ainda ecoam pelos corredores do lendário Electric Ladyland,principalmente quando o estúdio encontra-se vazio. Eu hein....

domingo, 12 de agosto de 2012

CLASSIC BOOTLEG: Alvin Lee's & Ten Years Later-Rockpalast Live 1978

Com o recesso do Ten Years After em 1974, depois de gravar o álbum "Positive Vibrations".  O guitarrista Alvin Lee,iniciou uma carreira solo,com um disco duplo ao vivo chamado "In Flight". Gravou mais dois:"Pump Iron!"(1975),e "Let It Rock"(1978). Depois disso,resolveu montar um power trio,convocando Mick Hawksworth para o contra baixo,e Tom Compton para a bateria. Alcunhou o trio de Alvin Lee's & Ten Years Later,uma clara menção à sua famosa banda anterior. Gravaram dois bons discos,"Rocket Fuel"(1978) e "Ride On"(1979). A tour europeia de "Rocket Fuel",gerou esse excelente bootleg,com uma apresentação dos caras tocando no Grugahalle Ginasium,na cidade de Essen ao norte da Alemanha. A gravação foi registrada de uma transmissão de TV, no exato momento em que exibia o guitarrista e seus companheiros,se apresentando no programa Rockpalast, no dia 09/12/1978. No set list,não poderia faltar músicas do Ten Years After. Há também uma ótima versão de Hey Joe(Billy Roberts),imortalizada por Jimi Hendrix.

FORMATO:Cd Simples
ÁUDIO: Tv Broadcast Recording

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

ROCK,A HISTÓRIA: Psychobilly.O Rockabilly Recriado

O inìcio da década de oitenta,foi muito importante no revigoramento do Rockabilly. Os músicos envoltos nesse revival,adquiriram influências nunca antes adotadas ao estilo,tais como:Garage Rock,FilmesTrash e Quadrinhos,criando o tão festejado Psychobilly(Rockabilly Psicótico). Entre as bandas mais famosas dessa nova tendência,destacamos,The Cramps,The Meteors,e o Stray Cats. A grande sacada para o aparecimento do movimento,foi uma compilação lançada na Inglaterra em 1980, com o título de 2x5. Nesse disco,aparecem artistas bastante influenciáveis para o Psychobilly como os Americanos Ray Campie,e a banda The Matchbox. O movimento virou moda principalmente na europa.trazendo de volta os topetões,as jaquetas de couro negro,os sapatos bicolores com solado grosso(os creepers),além das casas noturnas especializadas como o Footklub em Londres. O selo ABC,lançou duas coletâneas lançando os novatos, The Pharaohs,The Milkshakes,The Guanabatts,The Demented,e The Blasters. Mais tarde ainda surgiriam nóvos representantes,o Heverend Horton Heat,foi um deles. Ao se aproximar o final do decênio oitentata,o movimento sofreu uma descontinuação, com o fechamento da maioria dos clubes onde a turma se encontrava pra dançar, tomar todas e ouvir suas bandas favoritas. A crítica especializada e as rádios Britânicas,não davam mais importância ao Psychobilly. Como consequência,alguns grupos encerraram suas respectivas carreiras,enquanto outros ainda persistem,a exemplo do Stray Cats,que entre idas e vindas,vém se mantendo e repassando o ideal de adolescência,manifestado pela primeira vez em ídolos como Elvis Presley,Eddie Cochran,Carl Perkins,Gene Vincent,e Jerry Lee Lewis. O termo Rockabilly,foi criado nos anos cinquenta pela revista Billboard,para destacar um gênero musical que unia o rhythm and blues ao hillbilly ou seja,o rock and roll de origem blueseira com a batida dançante dos caipiras(cowboys),do sul dos estados unidos,originadas por fortíssimos golpes nas cordas do contra baixo acústico(Upright Bass). A gravadora americana Sun Records, pertencente à Sam Phillips,foi a grande responsável pelo surgimento do Rockabilly,tendo Scott Moore guitarrista de Elvis, o criador dos riff's que definiram para sempre esse rítimo contagiante.

Discografia Básica:

Rockabilly:

Gene Vincent: Gene Vincent & The Blue Caps - 1957
Jerry lee Lewis: Live At Star Club,Hamburg - 1964
Eddie Cochram: Summertime Blues(coletânea) - 1966
Carl Perkins: Blue Sued Shoes(coletânea) - 1969
Elvis Presley: The Sun Sessions(coletânea com a melhor fase do cantor) - 1976

Psychobilly:

Stray Cats: Stray Cats - 1981
The Meteors: In Heaven - 1981
The Blasters - Non Fiction - 1983

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

LENDAS DO ROCK: FOGHAT

Foghat em 1974
O Foghat,foi agrupado em Londres no ano de 1971 por tres músicos dissidentes do grupo Savoy Brown:Lonesome Dave Peverett,1943-2000(Guitarra,Vocal Solo),Tony Stevens(Baixo), e Roger Earl(Bateria),além de Rod Price,1947-2005(Guitarra Solo,Guitarra Slide,ex Black Cat Bones,de onde saiu também Paul Kossoff do Free). Ao Assinarem com o selo Bearsville,lançaram de imediato em 1972,o primeiro LP,trazendo o nome do grupo como título. os destaques desse disco são as músicas "A Just Want To Make Love To You"(Willie Dixon),"Sarah Lee","Trouble Trouble" e uma ótima versão para "Maybelline" de Chuck Berry. Um rock And Roll básico,cheio de arranjos blueseiros,já apontavam o estilo único do Foghat. Em 1973,eles colocam no mercado Foghat/Rock And Roll,conhecido como o disco da pedra e do pão,um trabalho razoável e com boas canções como "Ride,Ride,Ride" e "It's Too Late". O número de simpatizantes aumenta à cada apresentação em pub's londrinos e universidades pelo Reino Unido. Energized de 1974,surge para assegurar ao Foghat,como uma das melhores bandas de hard rock da Inglaterra,e agora também admirada nos Estados Unidos. O single com "Step Ouside",chaga à 20º posição das paradas. Aproveitando todo esse onda de sucesso,a gravadora lança nesse mesmo ano,"Rockn And Roll Outlaws" contendo "Chateu Lafitte'59 Boggie",um boogie rock da pesada. Logo após a turnê americana,o baixista Tony Stevens,agradece aos companheiros, e se manda. O Foghat então,resolve gravar o próximo álbum na América,lançando o clássico "Fool For The City/1975". No lugar de Tony Stevens,assume o contra baixo,o produtor Nick Jameson."Terraplane Blues","Save You Loving"(For Me),estão entre as melhores desse disco,mas "Fool For The City" e "Slow Ride".se tornaram o grande destaque. Com todo esse sucesso alcançado,os músicos resolveram fixar base definitiva na cidade de Nova York,recrutam um novo baixista,Craig Mcgregor e lançam em 1976,"Night Shift",estourando com a música"Drivin' Wheel". No ano seguinte,é o momento do primeiro ao vivo,e o genial "Foghat Live" é lançado. Em 1978,outro grande àlbum,"Stone Blue" com no mínimo quatro excelentes faixas:"Easy Money","Sweet Home Chicago"."It Aurts Me Too",e "Chevrolet". De 1978 à 1983,o Foghat alternou entre fracos e bons lançamentos,"Boogie Motel" de 1979,e "Tight Shoes" de 1980,são alguns exemplos. Ao ficar fora de operosidade por onze anos seguidos,eles retornaram em 1994 com a formação original e um CD com o sugestivo nome de "Return Of The Boogie Men"(mais ou menos:Retorno dos Homens Boogie),fazem apresentações impecáveis para antigos e nóvos fãs. Lançam mais um Live,"Road Cases"(1998),contendo registros da nova turnê e em 2000,a triste notícia da morte do guitarrista e cantor Lonesome Dave Peverett que pega todos de surpresa. Mais uma parada, e em 2003 eles voltam com o CD "Family Joules",e sem Rod Price que já estava  com a saúde bastante fragilizada,vindo também a falecer em 2005. Depois de todos esses acontecimentos,a banda passa a excurcionar e gravar pouquíssimas vezes com um revezamento extenso de integrantes,mantendo somente o baterista Roger Earl ainda em seu posto. O Foghat, lançou seu último disco,em 2010 chamado de "Last Train Home". Com esse título,parece realmente tratar-se de uma despedida definitiva. Sera?

Discografia Básica:

Foghat: - 1972/Bearsville
Rock And Roll:- 1973/Bearsville
Energized: - 1974/Bearsville
Rock And Roll Outlaws: - 1974/Bearsville
Foll For The City: - 1975/Bearsville
Night Shift: - 1976/Bearsville
Live: - 1977/Bearsville
Stone Blue: - 1978/Bearsville

Nota: Todos os discos em formato vinil,foram lançados no Brasil. Em CD, nenhum deles chegou entre nós

ROCK 'N' CINE: BLOW UP - 1966

DIRETOR: Michelangelo Antonioni
PRODUTOR: Carlo Ponti
ESTÚDIO: M.G.M

Com roteiro de Michelangelo Antonioni e Tonino Guerra,esse verdadeiro clássico do cinema ítalo-britânico,narra as aventuras em plena swinging london, de um fotógrafo profissional(David Hemmings),especialista em fotografar belas modelos, e sem perceber,acaba registrando a cena de um crime,colocando depois disso,sua vida em várias situações de perigo. O grande momento do filme sem dúvida,é quando o grupo Inglês The Yardbirds,aparece tocando uma versão pesadíssima de "The Train Kept A-Rollin'",com o título propositalmente trocado para "Stroll On".
Nesta mesma cena,o guitarrista Jaff Back destroi sua guitarra,golpeando-a contra o amplificador,no melhor estilo Pete Towshend(The Who). Em 1967,Blow Up venceu o lendário Festival de Cannes. A trilha sonora,foi realizada pelo Jazzista Herbie Hancock. Além de David Hemmins,a película contou também com: Vanessa Redgrave,Jane Birkin e Sarah Miles. Foi o primeiro filme britânico com cenas de nu frontal,protagonizadas pela modelo Russa,Veruschka Von Lehndorff.

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

ÁLBUNS CLÁSSICOS: TUDO FOI FEITO PELO SOL - MUTANTES

Rui Motta.A.Pedro,Túlio Mourão & Sérgio Dias















LANÇAMENTO: 1974
PRODUTOR: Mutantes
SELO: Som Livre

Se alguém lhe perguntasse qual o disco mais vendido da carreira dos Mutantes,você saberia responder? e se essa mesma pessoa, lhe afirmasse que foi o Lp "Tudo Foi Feito Pelo Sol",você acreditaria?. Mas foi exatamente esse disco lançado em 1974,que mais rendeu financeiramente ao conjunto,mesmo contando somente com a presença do guitarrista e vocalista Sérgio Dias Baptista,o único remascente da formação original. Em 1973,o nosso rock and roll atravessava um momento brilhante(o melhor até aqui),o rock rural de Sá Rodrix & Guarabira e o rock progressivo,estavam dando as cartas. A partir dessa excelente oportunidade,Os Mutantes já sem Rita Lee-demissionária por não concordar com o rumo à lá Yes que eles estavam tomando-gravaram o experimental e incompreendido "A e o Z". Um trabalho viajante criado à base de muito ácido,inspiradíssimo em Yes,Emerson Lake And Palmer e Crosby,Stills,Nash & Young. Os executivos da Polydor,ouviram os tapes e na mesma hora decretaram:arquivem. Isso não vai vender,não vai tocar nas rádios e muito menos na televisão(quanta idiotice!). Com o tal decreto,a fita máster foi devidamente lacrada e jogada no porão empoeirado da gravadora, e por muito tempo ficou perdida,existia somente uma cópia em gravador de rolo,pertencente à uma jornalista Paulistana. Em 1992,tais fitas foram resgatadas e o misterioso "A e o Z" finalmente foi lançado-isso, graças as declarações do finado Kurt Cobain(Nirvana)afirmando que, Os Mutantes foi a melhor banda de rock do planeta. Após a negativa da Polydor,se recusando lançar "A e o Z",Arnaldo Baptista(Tecladista e Vocalista),abandonou os colegas para se dedicar ao seu primeiro trabalho solo "Loki", o restante,acaba sendo dispensado pela gravadora. Com Arnaldo fora,seu irmão Sérgio Dias,convoca o tecladista Manito(Ex Os Incriveis),começam a ensaiar mas não há química,nada funciona,Manito então se manda para formar o genial "Som Nosso De Cada Dia",o baterista Dinho,aproveita e sai também para tocar com Arnaldo. Os Mutantes agora estava reduzido a Sérgio(Guitarra,Vocal) e Liminha(Baixo),mesmo assim os dois compõem quatro nóvos temas e em seguita chamam Túlio Mourão(Orgão Hammond,Mini Moog,Vocal) e o garoto Rui Motta(Bateria,percussão). Por alguma razão não muito bem esclarecida,Liminha deixa os companheiros e também se agrega a Arnaldo Baptista. Sérgio decide de imediato,recrutar Antonio Pedro de Medeiros(Baixo,Vocal),alugam um chalé em Petrópolis no Rio de Janeiro,e começam a refazer as músicas inacabadas e trabalhar em novas composições,ensaiando  praticamente o dia inteiro. Nesses ensaios,os músicos costumavam aquecer tocando na íntegra "Close To The Edge" do Yes. Depois de mais de 12 canções prontas,e agora se chamando somente Mutantes,eles assinam com a Som Livre que reconhece um potencial imenso nos rapazes. O resultado de toda essa dedicação,não poderia ser outro senão,o lançamento de "Tudo Foi Feito Pelo Sol". Com produção do próprio grupo,o álbum apresenta verdadeiras pérolas do progressivo feito no Brasil:"Deixa Entrar Um Pouco D'água No Quintal","Pitágoras","Desanuviar" e a música título,são temas elaboradíssimos que comprovam a sábia idéia que Sérgio Dias vinha tentando desde a gravação do rejeitado "A e o Z". Os antigos fãs torceram o nariz,em compensação,nóvos admiradores foram conquistados,contribuindo desta feita para que "Tudo Foi Feito Pelo Sol",se tornasse o álbum mais bem sucedido em termos financeiro dos Mutantes.

Notas: Existe um Bootleg chamado "Mutantes Ao Vivo Em Londrina,1974",que traz seis músicas da época das sessões de "Tudo Foi Feito Pelo Sol",sendo que cinco delas,são inéditas em lançamentos oficiais,exceto "Cavaleiro Negro",lançada com exclusividade em compácto.

Após a excursão de divulgação do álbum,o tecladista Túlio Mourão,iniciou carreira como solista, com trabalhos voltados para a música Instrumental. Qaunto ao baixista Antonio Pedro de Medeiros,este fez parte da formação inicial da Blitz,no início dos anos oitenta. Em substituição aos que se sairam,entraram Luciano Alves(Teclados),e Paul De Castro(Baixo e Violino). Este rodízio de integrantes,duraria até 1978 com a chegada de Fernando Gama( Baixo,ex Vímina) no posto de Paul de Castro. Algum tempo depois,Sérgio Dias,resolveu encerrar essa fase dos Mutantes,para seguir carreira solo internacional,chegando a gravar com o guitarrista Inglês Phil Manzanera(Roxy Music).

Em 2008,"Tudo Foi Feito Pelo Sol",ganhou uma belíssima versão em CD com embalagem Digipack,imitando a capa original do Vinil,além de tres músicas como bonus tracks.

terça-feira, 7 de agosto de 2012

*TESOURO ENCONTRADO* CROSSRODE(Crossrode-1980)


O Crossrode(a grafia é essa mesma) foi uma excelente banda,mas infelizmente faz parte daquelas que lançaram um ótimo disco,e ficaram somente na lembrança. Jamais foi cogitado pelas gravadoras brasileiras, o lançamento desse álbum entre nós,o que é de se lamentar. Com forte influência do Lynyrd Skynyrd,o Crossrode surgiu na cidade de Columbia,South Carolina/USA contando com os seguintes músicos:Barry Keel(Slide Guitar-Lead Guitar),Ricky Turner(Guitar,Lead Vocals),Ken "Bull" Bolen(bass) e Jay Devine(Drums,Percussion,Lead And Backing Vocals). O primeiro contrato dos caras com uma gravadora,foi em 1979,quando eles assinaram com a pequena "STRAWBERRY JAMMM RECORDS",no ano seguinte, eles lançaram o primeiro e único homônimo LP contendo canções muito bém executas,no melhor estilo hard e southern rock. Composições como:"Don't Want You No More","Done Me Wrong","Maddog","Travelin' Man" e "Good Lovin'(Is Hard To Find)",podem ser consideradas do mesmo nível clássico de"Free Bird","Sweet Home Alabama"ou "Simple Man"pertencentes ao Lynyrd Skynyrd. O Crossrode foi durante a sua existência,o queridinho em sua região,e estavam diariamente na programação das rádios, tocando a todo momento. Em 1981, a STRAWBERRY JAMMM Faliu,e o Crossrode sem nenhum apoio empresarial,foi obrigado a encerrar suas atividades,deixando esse tesouro por muitos ainda desconhecido.

Nota: Em 2008,essa raridade foi lançada em CD pelo selo Crossroads Productions,disponível somente no mercado estadunidense.

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

ROCK 'N' CINE: BLANK GENERATION - 1976

Cartaz Original do Filme

DIRETORES: Amos Poe e Ivan Král
ROTEIRO: Amos Poe e Ivan Kral
ESTÚDIO: Poe Vision Inc.
DURAÇÃO: 55 Minutos


Documentário em preto e branco filmado à principio em super-8,mostrando o início do punk rock em Nova York,onde as bandas se juntavam no lendário "CBGB". O próprio Amos Poe,filmou tudo sem nenhum critério para a posição da câmera. Este filme mais tarde,foi reeditado com alguma melhoria ganhando uma edição ampliada para 16 Mm. As principais cenas,mostram a acessão de bandas como:Ricahrd Hell And Voidoids,Patti Smith,Ramones,Television,Blondie e Talking Head.

Nota: Ivan Král, é de Praga na República Checa,e foi baxista do Patti Smith Group entre 1975 à 1979.

Amos Poe,diretor Novaiorquino,tem uma extensa lista de filmes cult na bagagem,entre eles estão:
The Foreigner(1978)
Subway Riders(1981)
Frogs For Snakes(1998)
The Guitar(2007)