sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Rock Portraits:

Mais um rock portraits mostranto o desenho da cantora Americana Debbie Harry(Blondie)

Jo Jo Gunne:Jay Ferguson e Mark Andes se livrando das garras de Randy California.

O Jo Jo Gunne em 1972
Em 1971 o tecladista/vocalista Jay Ferguson e o baixista Mark Andes,já estavam de saco cheios das idéias psicodélicas que o guitarrista Randy California vinha desenvolvendo no grupo Spirit. Após alguns meses Ferguson e Andes resolveram deixar o Spirit em busca de um som pesado- o grande lance naquela época-os músicos desistentes logo de imediato convocaram Matt Andes-irmão de Mark-para as guitarras e Curlly Smith para a bateria,estava formada uma das melhores bandas de heavy rock setentista,o Jo Jo Gunne,nome inspirado numa canção de Chuck Berry(Jo Jo Gun). Baseados em Los Angeles,o Jo Jo Gunne tratou logo de iniciar os ensaios aproveitando algumas composições que Ferguson e Andes estavam trabalhando junto ao Spirit e após assinarem um contrato com a Asylum Records,eles lançam em 1972 o disco de estréia e logo de cara foram para o top 40 do ranking com o hit single "Run,Run,Run",enquanto isso outro petardo "Shake That Fat" estacionava entre as primeiras colocadas nas paradas Americanas. Quando tudo parecia caminhar as mil maravilhas,o baixista Mark Andes pede demissão pegando todos de surpresa inclusive o mano Matt. Para ocupar o lugar vago de baixista,Jay Ferguson convoca o novato porém experiente Jimmy Randall. Em 1973 o Jo Jo Gunne lança um nôvo e excelente  álbum,"Bite Down Hard" que emplaca a pauleira " Ready Freddy" a qual é lançada em mais um single junto com "Wait a Lifetime"ajudando a alavancar o LP para o Top 20. Ainda em 1973 a  Asylum aproveita a boa fase dos meninos e pressiona por mais um disco,eles gravam e lançam de imediato "Jumpin' The Gunne" com produção do afamado Bill Szymczyk,mais dois hits não param de tocar nas rádios "I Wanna Lose You" e "To The Island". Com tanto socesso,turnês e a famigerada pressão da gravadora a fórmula acaba desgastanto,ainda assim no ano seguinte a turma arrumou tempo e disposição para mais um lançamento "So....Where's The Show",um trabalho bastante inferior comparado aos tres discos gravados anteriormente. Em 1975 Jay Ferguson encerrou as atividades do Jo Jo Gunne para iniciar uma carreira solo além de tocar nos discos e excurcionar com Joe Walsh. Mark Andes reapareceria integrando os grupos Firefall e Heart das irmãs Wilson. Em 2005 a formação original do Jo Jo Gunne sem Ferguson substituido por John Steahely,voltou à ativa numa gig de curta temporada para divulgar a coletânea "Big Chain",recentemente surgiram rumores do retorno de Ferguson ao conjunto,o que não foi confirmado.

Discografia Básica:
Jo Jo Gunne(1972/Asylum)
Bite Down Hard(1973/Asylum)
Jumpin' The Gunne(1973/Asylum)

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Rock Portraits.

O genial Lou Reed retratado em nanquim por este blogueiro. Este fáz parte de uma série de vários desenhos e pinturas retratando grandes astros do rock 'n' roll. A cada oportunidade,vou postando alguns desses trabalhos.

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Deep Purple em Belém,simplesmente esplêndido !!

Meu Ingresso
A primeira vêz que ouvi o Deep Purple foi em 1971 tocando "Black Night" na extinta rádio Guajará-e lá se vão quarenta anos-dai em diante me tornei um fã inveterado e venho acompanhando a carreira da banda desde então. É com muita emoção que aguardo a apresentação do Deep Purple entre nós,apesar do grupo não contar mais com músicos que fizeram parte do line up como Ritchie Blackmore,John Lord,David Coverdale,Glenn Hughes e Tommy Bolin,más com certeza o show do dia 04/10/11 vai ser inesquecível.
Bem vindos à Belém.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

CLASSIC BOOTLEG: Live 1983/Motorhead

Antes de comentar esse excelente bootleg,vou contar uma historinha. Quando Fast Eddie Clarke deixou o Motorhead,o ex Thin Lizzy Brian "Robbo" Robertson assumiu provisoriamente às guitarras. Depois de uma curta temporada americana completando as datas da turnê do disco "Iron Fist",Robertson chamou Lemmy e o baterista Phil Taylor para uma conversa e decretou: Se os senhores ainda quiserem a minha permanência na banda,muita coisa vai ter que mudar. O estilo agressivo do Motorhead não agradava Brian Bobertson e após a concordância de todos,o trio foi para os estúdios e juntos produziram e gravaram "Another Perfect Day" o álbum mais hard e um dos cinco melhores discos do Motorhead. Quando o homem das verrugas percebeu que o guitarrista estava tomando as rédeas,o demitiu usando como desculpas as diferenças musicais entre ambos e os shorts curtíssimos que Brian vinha usando nas apresentações,já era tarde os riffs e solos geniais de "Robbo" já estavam entranhados nos sulcos do vinil  de "Another Perfec Day" lançado em 04 de Junho de 1983. A apresentação registrada nesse CD foi realizada no dia 09/06/83 na universidade de Sheffield na Inglaterra,na ocasião eles davam início a excursão Europeia. A gravação foi extraida de uma transmissão em FM portanto a qualidade é ótima. Formação:
Ian Frazer "Lemmy" Kilmister:  Vocais e baixo
Brian "Robbo" Robertson: Guitarra
Phil "Philty Animal" Taylor: Bateria
Pra ouvir sem parar.