quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Classic Bootleg: Live at Greek 1978/Chicago

Ao lado de conjuntos como Blood Sweat & Tears e Tower of Power, o Chicago-anteriormente Chicago Transit Authority-foi nos anos setenta um dos melhores grupos na história da música pop Fazendo de maneira excepcional a fusão do rock com o jazz e a soul music. Os músicos desse verdadeiro comboio se destacavam pelo entrosamento perfeito tanto no estúdio como nos palcos,com destaque para o naipe de metais cobrindo todos os espaços das canções tornando-se uma das característica da banda. Essa teria sido a primeira turnê após a morte de um dos seus fundadores,o guitarrista "Terry Keith" que mostrava sua coleção de armas para alguns amigos e em um determinado momento encostou o cano de uma delas na cabeça e apertou o gatilho pensando que ela estivesse descarregada,não estava. A apresentação registrada nesse bootleg foi realizada no Greek Theatre em Los Angeles Ca. no dia 11/08/1978 e contava no line up com a presença do percussionista brasileiro "Laudir de Oliveira"que tocou com eles de 1973 à 1980.  A qualidade da gravação é excelente já que ela foi extraída de uma transmissão em FM. Um bootleg valioso. Há...o Chicago continua na ativa agora fazendo parte do AOR,ou seja Adult Oriented Rock,trocando em miúdos,Clássic Rock.
Formação:
Robert Lamm:Vocals,Keyboards
Peter Cetera:Vocals,Bass
Donnie Dacus:Guitars,Vocals
James Pankow:Trombone
Walter Parazaider:Saxophone
Lee Loughnane:Trumpet
Laudir de Oliveira:Percussion
Danny Seraphine:Drums

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

O Matching Mole seria um segundo Soft Machine?

Em Conversa com amigos costumo dizer que sou um admirador do Canterbury Sound. Para quém não sabe Canterbury é uma pequena cidade no condado de Kent na Inglaterra e o nome desse lugarejo foi designado pela imprensa Europeia para referenciar os grupos Ingleses que se desenvolveram a partir do lendário "Soft Machine"(surgido em Canterbury em 1966). Entre esses, destacamos o "Matching Mole". Em 1971 o baterista Robert Wyatt resolveu demitir-se do Soft Machine por achar que a banda estava se distanciando do experimentalismo jazzístico que vinha praticando até então. O passo seguinte foi um novo projeto o qual Wyatt denominou de Matching Mole ou Soft Machine em francês,para tal empreitada foram recrutados os conceituadíssimos músicos David Sinclair(Orgão e Piano),Phil Miller(Guitarra),Bill McCormick(contra baixo) além de Robert Wyatt é claro,na bateria e vocais. Após alguns meses refugiados em Paris onde ensaiaram bastante novas composições.a banda volta à Inglaterra assina contrato com a Columbia(CBS),grava e lança em 1972 o primeiro e homônimo álbum. O disco é um trabalho exuberante na medida certa associando técnica,melodia e experimentação. Músicas a exemplo de "Instant Pussy" e "Signed Curtain",estão perfeitamente encaixadas no estilo Soft Machine,torna-se uma tarefa árdua escolher uma única canção de destaque,o álbum todo é perfeito e os músicos se sobressaem  por igual. Ainda no mesmo ano o Matching Mole coloca em foco o seu segundo disco "Little Red Record",se apresenta pela Europa ao lado do Caravan e é obrigado a encerrar suas atividades em 1973 depois de um sério acidente sofrido por Robert Wyatt que o deixou paraplégico. Nos anos seguintes o guitarrista Phil Miller e o tecladista David Sinclair formariam juntos outro grande representante do som de Canterbury,o "Hattifield And The North",Sinclair ainda faria parte do Caravan e do Camel. Bill McCormick passa a tocar com Phil Manzanera no Quiet Sun(onde já vinha atuando desde 1970) e no 801,posteriormente forma o Random Hold(1977/1980).Quanto a Robert Wyatt,mesmo com suas limitações físicas,continua a lançar trabalhos de qualidade além de aparições em discos de outros artistas.

Discografia Oficial:
Matching Mole(1972/CBS)
Little Red Record(1972/CBS)
Lançamentos após a dissolução da banda:
Smoke Signals(2001/Cuneiform),gravado ao vivo
March(2002/Cuneiform),gravado ao vivo
On the Radio(2007/Hux},ao vivo na BBC

EP
BBC radio one live in concert(1994/Windsong),ao vivo na BBC

sábado, 19 de novembro de 2011

RUFUS HUFF

Capa do disco do Rufus Huff
Pense numa banda com influência setentista até o último cabelo que voce possa imaginar ter na sua cabeça. Essa sem exagero algum é o "Rufus Huff". Blues rock,hard rock,heavy rock,heavy funk,tantos rótulos são dispensáveis os caras são bons à beça e isso já basta. Formado em Chicken Bristle/Usa o rufus huff juntou-se no ano de 2005 em torno de Greg Martin(guitarra),Dean Smith(baixo),Chris Herdesty(bateria e percussão) e Jarrod England(Vocais). Durante exatos quatro anos os caras ralaram pra porra na procura de uma gravadora até que eles conheceram o produtor David Barrick que os levou à zoho roots records por onde gravaram e lançaram em 2009 o álbum homônimo de estréia e o único até o momento. As bandas preferidas desses caras que já são bem corôas(a foto da capa do disco não nega)são ZZ Top,Free e Bad Company e a bebedeira na fonte desses grupos fica evidente nas músicas "13 Daze",Shirley's e "Gotta Heve Her name" os funkaços "El Lago" e "The Bottom",deixaria James Brown lisonjeado com tamanha competência. As Clássicas "Good Morning Litte school Girl" e "I Ain't Superstitious" foram incluidas no CD com versões diferenciadas no melhor estilo hard tradicional. De fato um belo registro de como uma nova banda pode nos brindar com um álbum de rock'n'roll de vardade. "Os cães ladram e a caravana passa". Ainda existe um rock'n'roll à ser seguido,um sentimento à ser preservado.