domingo, 30 de setembro de 2012

TOP TEN: Gênios da Stratocaster

A guitarra Fender Stratocaster,completou 58 anos de existência. Essa bela dama quase sessentona ainda consegue deixar inúmeros músicos apaixonados,graças ao seu criador "Leo Fender". Em homenagem,selecionamos 10 guitarristas-claro que é muito pouco-cujo o som está definitivamente ligado à "Stratocaster".

David Gilmour(Pink Floyd):
Os solos blueseiros de David Gilmour,é a marca mais presente na música do Pink Floyd. Gilmour entrou na banda em 1968,para cobrir às erratas do gênio maluco Syd Barrett e acabou ficando como Lead Guitar.

Ritchie Blackmore(Deep Purple,Rainbow,Blackmore's Night):
O aborrecido Blackmore tem uma técnica excelente com as palhetas,além de ter sido um dos primeiros na fusão do rock pesado com a música erudita. O cara se tornou um simpatizante da Strato,depois de adquirir um modelo que pertenceu à Jimi Hendrix.

Eddie Van Halen(Van Halen):
Após o lançamento do primeiro álbum do Van Halen em 1978,tudo quanto era garoto quaria tocar guitarra,e de preferência uma Strato Branca com listas pretas.

Jeff Beck:
O Guitarrista Inglês Jeff Beck e a Fender Stratocaster,são como um casamento harmonioso e sólido,apesar de que para gravar o álbum "Blow By Blow",Beck pulou a cerca com uma Les Paul. "A guitarra Fender Stratocaster,da conta de todo o espectro de emoções do ser humano(Comentou Jeff Beck).

Eric Clapton:
Depóis de experimentar algumas marcas no início de carreira,Clapton acabaria se apaixonando pela "Blackie",uma Strato mutante feita com partes de várias outras. Eu estava em Nshville em 1970 com os Derek & The Dominos,e visitei uma loja de guitarras usadas,comprei algumas,e construi "Blackie" com o braço de uma,o corpo de outra,e assim por diante.

Mark Knopfler(Dire Straites,solo)
O guitarrista Mark Knopfler,pode ser identificado logo de cara nos primeiros acordes."Sultans Of  Swing" do Dire Straits,tem um dos solos mais bacanas do rock. "A Strato me acordou".(Disse o guitarrista)

Jimi Hendrix:
Com sua Fender Strato pra canhotos,Hendrix colocou em sua música,Blues,Soul,e Rock 'n' Roll. A guitarra era como se fosse uma extensão do seu próprio corpo."Gostaria de unir algo que misturasse Jazz,Handel,Bach,Flamenco,e Muddy Water ao mesmo tempo(falou Hendrix).

Steve Ray Vaughan: Nos anos sessenta,Clapton causou bastante impácto. Nos anos noventa,sem dúvida foi Steve."Percebi como fazer uma guitarra rosnar.Giro o botão de tonalidade pra baixo,agarro-a pela alavanca e chacoalho-a no chão. As Stratos são fortíssimas,não recomendaria isso para qualquer outra marca.

Buddy Guy:
Blueseiro admirado por Jimi Hendrix,Eric Clapton,Steve Ray Vaughan e Jeff Beck,Guy se apaixonou pela Fender Stratocaster quando viu "Guitar Slim" enloquecer a plateia tocando com uma. Buddy Guy foi homenageado pela fábrica com um modelo exclusivo que leva o seu nome. 

Yngwie Malmsteen:
A década de oitenta revelou um dos maiores representantes do som Strato. Com solos velozes e cercado por uma enorme quantidade de Marshall,Malmsteen foi aclamado um dos maiores nos anos oitenta.


Outros monstros da Strato:

"Sou basicamente um músico viciado em Fender Stratocaster. Ela é confortável,a escala parece exata,e adoro as tarraxas em um único lado"(Comentou o saudoso Rory Gallagher)

"Com uma Strato você pode tocar em qualquer posição. É muito fácil(Hank Marvin,The Shadows)

As Stratocaster brancas,são as mais lindas do mundo(Jimmie Vaughan,irmão de Steve Ray Vaughan)

Meu coração e minha alma,estão na Stratocaster(Adrian Belew,King Crimson)

Se você quiser pegada,punch,e a força verdadeira do rock'n'roll,tem que tocar numa Fender Stratocaster(Dick Dale,músico americano precursor do gênero Surf Music)


quarta-feira, 26 de setembro de 2012

ÁLBUNS CLÁSSICOS: Argus - Wishbone Ash

Álbum: Argus
Artista: Wishbone Ash
Lançamento: Outubro de 1972
Produtor: Derek Lawrence
Selo: MCA


Em 1973,um grande e saudoso amigo,me presenteou com o primeiro disco do grupo inglês "Wishbone Ash"-aquele dos ossos de galinha em cinzas. Ao ouvir o LP,meu interesse pelo grupo foi de imediato,e garimpar os outros discos desses caras,passou à ser prioridade.Os solos gêmeos com uma oitava acima,a mistura de boogie,hard rock,jazz,folk e até rock progressivo,me deixaram gratificado no momento exato em que coloquei o álbum pra tocar. Ao iniciar uma busca por outros trabalhos da banda,encontrei "Argus". Aí sim,foi paixão avassaladora,o disco me dominou por completo,ouvia duas, três vezes seguidas. A viagem já começa pela bela capa(Hipignosis)que impressiona quando você põe os olhos num guardião medieval pronto para atacar se preciso for. As faixas apresentadas são surpreendentes:"Time Was" e "Sometime World",iniciam brandas e vão crescendo frenéticamente,o hit "Blowin' Free",obrigatório até hoje nos shows,às delirantes "Leaf And Stream","Throw Down The Sword",e as progressivas "The King Will Come",e "Warrior". Depois de Argus,o Wishbone Ash se tornaria um gigante ao lado de vários outros pertencentes ao primeiro escalão do rock britânico. O disco seguinte,"Wishbone Four",foi o último com a participação do guitarrista Ted Turner,que deixou seu posto para Laurie Wisefield. Nos anos oitenta o Wishbone Ash,acabaria dando uma conotação mais pop para sua música,sem nunca perder a originalidade que os consagrou. Argus é o primeiro disco a ser lembrado,quando se fala a respeito do Wishbone Ash.

Notas: Argus,tem seu formado em CD desde de 1991,com edições na Europa,Estados Unidos e Japão. 

O LP chegou ao terceiro posto nas paradas Britânicas,e na quinta posição da Billboard.

terça-feira, 25 de setembro de 2012

PLUGADO: Como o guitarrista Gary Rossington(Lynyrd Skynyrd),gravou "Sweet Home Alabama"

Rossington com uma Les Paul
Lynyrd Skynyrd em 1974
Em meados de 1973,o Lynyrd Skynyrd encontrava-se em estúdio ensaiando as canções que fariam parte do segundo álbum da banda "Second Helping". Durante uma pausa,o guitarrista Gary Rossington começou a executar um novo riff. O saudoso vocalista Ronnie Van Zant(1948-1977),gritou da sala ao lado: Não para!,não para!,enquanto Rossington repetia o lick. Foi então que Ronnie iniciou a harmonia cantarolando. Os outros integrantes adicionaram o complemento,enquanto o vocalista concluia a letra em menos de quarenta minutos. Estava pronto "Sweet Home Alabama",um dos maiores hinos do rock sulista norte americano. Gary Rossington gravou toda a música tocando sua "Bernice",uma legítima Gibson Les Paul fabricada em 1959. A guitarra foi plugada num cabeçote "Peavey" ligado em uma caixa 4x12 da mesma marca,contendo alto-falantes JBL. Rossington retirou o tampão traseiro da caixa,para conseguir muito mais pegada. No momento da gravação,os músicos tocaram separadamente dentro da cabine de isolamento. As tês guitarras características do Lynyrd Skynyrd,ficaram assim distribuídas: Ed King-mais tarde substituido por Steve Gaines(1949-1977)-fez a introdução,Allen Collins a Guitarra Rítimo,e Gary Rossington os solos. O guitarrista ainda usa seus equipamentos da "Peavey",a Les Paul "Bernice" foi aposentada somente para às turnês,no lugar ele usa uma reedição similar além de uma antiga Gibson SG 1961 com trêmolo,principalmente quando está tocando "Free Bird".

Nota: O single com "Sweet Home Alabama",foi lançado em 24 de Junho de 1974. A letra é uma resposta à música "Alabama" de Neil Young,contida no álbum "Harvest" de 1972.

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

TESOURO ENCONTRADO: "LIVE IN TOKYO" - WISHBONE ASH

Este é um daqueles ítens encontrado somente no mercado Japonês. Em 1978,o grupo inglês Wishbone Ash,excursionava pelo Japão,divulgando o álbum "No Smoke Without Fire". Aproveitando os dois dias de shows realizados no Sunplaza Hall em Tokyo,a gravadora MCA,registrou alguns momentos,e compilou nesse EP, que continua sendo um disco cobiçadíssimo pelos fãs da banda(incluindo esse blogueiro). As apresentações foram nos dias 10 e 15 de Novembro de 1978. O disco foi oficialmente lançado em Março do ano seguinte.

Músicas:

F.U.B.B.
Way Of The World
You See Red
Jail Bait
Blowin' Free

Formação:Wishbone Ash MK2

Martin Turner: Bass & Vocals
Steve Upton: Drums & Percussion
Andy Powell: Guitar & Vocal
Laurie Wisefield: Guitar & Vocals

Nota: Tanto em vinil,como no formato digital,o disco encontra-se disponível somente no mercado Japonês.

          O ex Baixista Martin Turner,se apresentou sábado dia 22 em São Paulo,com o projeto "Martin Turner's/Wishbone Ash.

sábado, 22 de setembro de 2012

CLASSIC BOOTLEGS: Toronto'96 - Gin Blossoms

Formato:CD Simples
Áudio:Excelente transmissão em FM


O grupo americano Gin Blossoms,ao lado de outras bandas como:The Jayhawks,Uncle Tupelo,Son Volts,e Wilco,foram os responsáveis pela repaginação do Country Rock na primeira metade dos anos noventa. A crítica rotulou tudo como Alt-Country. Esses grupos,são os verdadeiros herdeiros do som do The Byrds,e se orgulham disso,e eu também. Esse show do Gin Blossoms,foi realizado em Toronto/Ontario no Canadá,no dia 06 de Maio de 1996,transmitido por uma emissôra de rádio FM. A apresentação,traz a banda em grande estilo,desfilando seus principais hits"Found Out About You","Hold Me Down","Follow You Down","Allison Road',e "Hey Jealousy",dando sequência na tour do álbum "Congratulations I'm Sorry". Se você acha o R.E.M um fenômeno,esqueça,o Gin Blossoms é muito melhor.

Formação na época:

Robin Wilson:Leda Vocals,Tambourine
Jesse Valenzuela: Lead Guitar,Vocals
Scott Johnson: Second Guitar,Vocals
Bill Leen: Bass
Philip Rhodes: Drums

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

PLUGADO: Os truques do Guitarrista "Brad Gillis",para gravar o solo de "Sister Christian" do Night Ranger.

O grupo de hard rock oitentista Night Ranger,ficou famoso pela figura do seu lider e guitarrista "Brad Gillis",o cara que teve a coragem de ocupar o lugar do saudoso Randy Rhoads,na banda de Ozzy Osbourne. Gillis que é considerado um expert na alavanca "Floyd Rose",nos fala sobre a gravação de "Sister Christian",um dos maiores hits do Night Ranger. Brad Gillis contou que para o solo dessa canção,usou uma Fender Stratocaster de 1962,plugada num cabeçote-mesa boogie MK11,e uma caixa Marshall 4x12,microfonada com um shure SM57. O cara nos confindenciou ainda,que todos os controles de tonalidade de sua guitarra,foram ajustados em "6",com o pre-amp,aumentado em "9",e o master estourando pela metade. Deixei tudo muito alto,afirmou Gillis,pois tinha certeza que utilizaria muito sustain na execução do solo. Brad Gillis,prefere gravar exclusivamente seus solos,na sala da técnica,e não no estúdio. Com isso,os retornos UREI tendem a ser avolumados para reproduzir feedback. Gillis ressalta. O solo dessa música,tem muito da minha marca registrada,toquei atacando a alavanca,e usando uma palheta de metal. Eu precisava de algo diferente,então usei o braço inteiro da minha Strato,e deixei o solo fluir emitindo emoção. "Sister Christian",foi lançada como single em março de 1984,e alcançou a 4ª posição nas paradas americanas.

Contida no álbum: Midnight Madness,lançado em Novembro de 1983.

CLASSIC BOOTLEGS: Live In Sweden'2011 - SAXON

FORMATO: CD Duplo
ÁUDIO: Audience Remastered Recording


Ao lado do Iron Maiden,o Saxon( as minhas preferidas do Heavy Metal),é um dos poucos gigantes do"NWOBHM" ainda de pé. Peter "Biff" Byford,continua cantando como antes,mantendo sempre a figura de um grande frontman. O guitarrista Doug Scarratt que entrou na banda em 1995,está perfeito como parceiro das seis cordas do veterano Paul Quinn. No resto,o Saxon é o mesmo,mantendo a MK 2,com Nibbs Carter(Baixo) e Nigel Glockler(o baterista do grupo que mais saiu e retornou). Esta apresentação no ginásio Malmö Arena em Malmö na Suécia,foi realizada no dia 29 de Novembro de 2011,e fazia pate da turnê do álbum "Call To Arms",o último deles de estúdio, lançado em 03 de Junho de 2011. Você está me perguntando,eles continuam a tocar os clássicos? e eu respondo,claro,jamais deixarão de brindar seus velhos fãs com: "Cruzader","Power In The Glory","Wheels Of Steel","Princess Of The Night","Strong Arm Of The Law","Motorcycle Man","747(Strangers In The Night)","Heavy Metal Thunder",e "Rock The Nations",todas contidas nesse fabuloso Bootleg. Longa vida ao Saxon!!

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

ÁLBUNS CLÁSSICOS: Scary Monsters(And The Super Creeps) - David Bowie

ÁLBUM: Scary Monsters(And The Super Creeps)
ARTISTA: David Bowie
LAMÇAMENTO: 12 de Setembro de 1980
PRODUTOR: Tony Visconti
SELO: RCA Victor


Em 1980,o camaleão David Bowie,já havia jogado uma pá de cal nos anos setenta,encovando o glam rock de Ziggy Stardust,os delírios Rhythm & Blues de Young Americans e Station To Station,e a trilogia germânica de Low,Heroes,e Lodger. Scary Monsters(And Super Creeps),foi o último grande disco de David Bowie. É um álbum com a cara dos anos oitenta. É punk,pós-punk,new waveBowie,como o desenho da capa,mais pop impossível. Lá Bowie ainda contando com Tony Visconti como produtor,convocou um timaço de músicos para auxilia-lo:Bob Fripp,Adrian Below,e Pete Townshend dentre outros. Um disco maravilhoso,um apanhado de canções memoráveis. Olhem,é o álbum preferido do guitarrista"Tom Verlaine"(Television).

Músicas:

It's No Game(Part 1)
Up The Hillbackwards
Scary Monsters(And Super Creeps)
Ashes To Ashes
Fashion
Teenage Wildlife
Scream Like Baby
Kingdom Come
Because You're Young
It's No Game(Part 2)

OUTLAWS:ANTHOLOGY(LIVE & RARE),1973-1981>BOX SET

Esse grande grupo americado que muito bem representa o Southern e o Country Rock,acaba de nos brindar-foi lançado no dia 07 de Setembro 2012-com um box sensacional contendo quatro CD's repletos de gravações ao vivo,demo tapes,e outtakes nunca antes aproveitados em lançamentos oficiais. Conheci o Outlaws por volta de 1977,aproveitando uma oferta durante uma troca de discos com um amigo. O álbum que consegui,foi o segundo oficialmente pôr eles lançado:"Lady In Waiting"(1976). Daí em diante,passei a colecionar os LP's desses caras. Os solos trigêmeos feitos pelos três guitarristas,a associação do country com o blues,e o rock and roll,os vocais muito bém harmonizados,tudo isso junto com uma potentíssima pegada,o qua acabou os qualificando também como uma banda de Hard Rock. De volta ao box,notei que algumas músicas contidas na apresentação em Pittsburgh/Novembro de 1981,fazem parte do Bootleg: "Riders On The Davil's Road/Pittsburgh'81". As registradas no Record Plant em Sausalito,aparecem no Bootleg: "Live At The Record Plant'75". Ou seja,gravações piratas,agora oficializadas. Tentarei resumir os discos da seguinte forma:

Disco: 1
Shows em:
Denver e Pennsylvania(Agosto de 1975)
Cleveland(Setembro de 1975)
Sausalito-Record Plant(Novembro de 1975)

Disco: 2
Continuação do Concerto de Sausalido no Record Plant(Novembro de 1975)

Disc: 3

Shows em:
Pittsburgh-Stanley Theater(Março de 1977)
Passaic-NJ-Capital Theater(Maio de 1977)
Pittsburgh-Pittsburgh Arena(Novembro de 1981)

Disc: 4

Studio Albums Demos
Outlaws First Album Sessions(1975)
Lady In Waiting Sessions(1976)
Hurry Sundown Sessions(1977)

Unreleased demos & outtakes

Nota: Uma bela e merecida caixa,vale muito à obtenção.

terça-feira, 18 de setembro de 2012

LENDAS DO ROCK: Creedence Clearwater Revival

No final dos anos cinquenta,os irmãos John e Tom(1941-1990) Fogerty,nascidos em Berklay,fizeram amizade com Doug Clifford e Stu Cook. Os quatro garotos frequentavam a mesma escola na cidade de El Cerrito na California,e adoravam: The Beatles,Blues e Country Music. Formaram um grupo chamado no início de Tommy Fogerty & The Blue Velvets. Em 1964,foram descobertos pela Liberty,um selo ligado a Fantasy Records,ganham o primeiro contrato como profissionais,rebatizam a banda com o nome de The Goollywogs,e gravam alguns singles sem muito alarde. Em 1967,eles resolvem mais uma vez trocar de nome,agora definitivamente para Creedence Clearwater Revival-existe uma versão da história,que afirma o novo nome ter sofrido influência de uma velha e desativada fábrica de cerveja,onde o The Goollywogs ensaiava. Em 1968,todos devidamente satisfeitos com o novíssimo nome,lançam o primeiro,e auto-intitulado LP,trazendo além de composições autorais,versões arrasadoras para "Suzie Q"(Dale Hawkins) e "Put A Spell On You"(Screamin Jay Hawkins),ambas lançadas também em compacto. O single de "Suzie Q",ocupava os dois lados do disquinho,divididos em partes I e II. Em 1969 sai Bayou Country,com o Creedence se tornando um fenômeno de vendas nos Estados Unidos,começando a despontar para o resto do mundo. Bayou Country se tornaria, a exemplo dos demais discos,um verdadeiro greatest hits,visto que,todas as músicas desse álbum,frequentaram às pardas. "Proud Mary","Born On The Bayou"(essa estacionou na segunda colocação por várias semanas),a versão de "Good Golly Miss Molly"(little Richards),Bootlegs e as alongadas "Graveyard Train", e "Keep On Chooglin". Tanto êxito,acabou os referenciando para tocar no Festival de Woodstock. Ainda em 1969,dois grandes trabalhos,Green River e Willy And The Poor Boys, mostram os rapazes posando na capa,como autênticos músicos de Bluegrass. Mais ou menos até o início de 1970,o Creedence Clearwater Revival,emplacou vários hitsingles,nas primeiras posições da Billboard: "Lodi","Up Araound The Band","Bad Moon Rising","Ooby Dooby","Down The Corner","Gree River","Fortunate Sun", e Travelin' Band,os caras eram uma verdadeira indústria de sucessos. O genial Cosmo's Factory,trazendo a pauleira "Ramble Tamble",foi o lançamento de 1970,com o disco atingindo o primeiro lugar,tanto na América como na Europa. Nessa época,começam os conflitos internos no conjunto. A liderança de John Fogerty,não agrada seu irmão Tom que se demite no princípio de 1971,após o lançamento no final de 1970, do excelente álbum Pendulum,estouradíssimo com o hit "Have You Ever Seen The Rain". Como um trio,eles iniciam uma world tour pelo continente europeu,de onde são extraídos os tapes utilizados no duplo ao vivo Live In Europe. No final da turnê,John,Stu,e Doug,retornam à base,trabalham,e lançam Mardi Gras(1972),trazendo como novidade,a liberdade que Stu Cook e Doug Clifford,obtiveram para compor e cantar algumas músicas. Na realidade isso só viria a comprovar que o grande mentor do Creedence Clearwater Revival,era mesmo John Fogerty. O lançamenro foi um fracasso total,com destaque apenas para a faixa "Someday Never Coming",o que forçou John Cameron Fogerty, a encerrar a gloriosa carreira de uma das mais populares bandas Americanas de Rock.

Formação:

John Fogerty: Lead Vocals,Lead Guitar,Harmonica,Piano,Organ
Tom Fogerty: Rhythm Guitar(saiu da banda em 1971)
Stu Cook: Bass
Doug Clifford: Drums

Notas: John Fogerty em 1973,gravou um disco sozinho,tocando todos os instrumentos. O álbum chama-se "Blue Ridge Rangers" e traz uma regravação de "Jambalaya"(On The Bayou)da lenda da country music e do bluegrass "Hank Williams",além do hit "Hearts of Stones". Em seguida passaria a ter uma excelente carreira solo.

Tom Fogerty,após sair do Creedence Cleawater Revival,lançou um excelente single com a música "Goodbye Media Man"(partes I e II),daí em diante,alternou bons e fracos Lps,sendo "Myopia"(1974),o mais bem sucedido comercialmente. Tom,morreu de tuberculose em 06 de Setembro de 1990,Havia gravado seu último disco em 1981.

Stu Cook e Doug Clifford,chegaram a tocar com os grupos: Doug Sahm e Don Harrison Band. Atualmente se apresentam ao lado de outros músicos como "Creedence Clearwater Revisited".


Várias bandas do movimento Grunge,se diziam infuenciadas pelo Creedence,tanto que "Green River",foi o primeiro nome adotado pelo Pearl Jam. As camisas xadrez-Bastante usada por John Fogerty-atualmente na moda,era o modelito,preferido dos músicos de Seattle no início dos anos noventa(Kurt Cobain,tinha uma vasta coleção).

Discografia Oficial de Álbuns:

Creedence Clearwater Revival:  1968/Fantasy
Bayou Country:  1969/Fantasy
Green River:   1969/Fantasy
Willy and The Poor Boys:  1969/Fantasy
Cosmo's Factory:   1970/Fantasy
Pendulum:   1970/Fantasy
Mardi Gras: 1972/Fantasy
Live In Europe: 1973/Fantasy(Duplo ao Vivo)
The Concert: 1980/Fantasy(Este disco foi lançado originalmente em 1974,com o título erroneamente grafado como "The Royal Albert Hall Concert")

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

PLUGADO: Curiosidades dos Estúdios - Jimmy Page,fala detalhes sobre as gravações de "Led Zeppelin (IV)"

Na  estréia de Plugado,o lendário guitarrista do Led Zeppelin,nos conta alguns detalhes sobre as sessões de gravação do álbum "Led Zeppelin (IV)"


Equipamentos:

Guitarras Fender Telecaster,Fender Electric XII, Gibson Les Paul,e amplificadores Marshall 100W.

Jimmy Page afirma ter concebido "Stairway To Heaven",juntando vários fragmentos de ideias,registrando tudo num gravador que vivia ao seu lado praticamente 24 horas por dia. Nesta canção,foram gravados três solos diferentes com uma Fender Telecaster(ainda com ele desde a época do The Yardbirds). O solo registrado na gravação original,foi escolhido o melhor pelo guitarrista. Em "Black Dog", Page usou sua Gibson Les Paul,plugada direto numa engenhoca chamada Direct Box em conexão com o canal dos microfones,tudo ligado em dois compressores "UREI 1176 UNIVERSAL",triplicando cada linha,para que a guitarra soasse igual a um sintetizador. Page afirmou ainda,que sua maior experiência com os microfones,foi na música "When The Leaves Breaks". Ele colocou o baterista John Bonham para tocar no corredor do estúdio,e espalhou diversos micros pelo chão,nos cantos, e no teto. O resultado,foi simplesmente maravilhoso,com uma das pegadas de bateria mais pesadas do rock 'n' roll. Questionado sobre a capa do disco,ele respondeu que,o velhino,tratava-se de um quadro que ornamentou por muito tempo a sala de estar do vocalista Robert Plant,que o adquiriu numa loja de antiguidades em Reading. A gravura representa o passado,enquanto as imagens dos prédios na contracapa,representam o presente.O desenho do eremita com a lanterna,sobre a extremidade da montanha,foi inspirado no tarô.

Led Zeppelin (IV),foi lançado em 08 de Novembro de 1971

Nota: Ao contrário do que muitos pensam,Jimmy Page não usou no estúdio, a guitarra "SG Double Neck"para gravar "Stairway To Heaven". Somente nos shows do Led Zeppelin,ele usava tal instrumento, e justamente para tocar esse grande clássico da banda.

domingo, 16 de setembro de 2012

CLASSIC BOOTLEGS: Liverpool '75 - Genesis

Formato: CD duplo
Áudio: Soundboard Recording
Duração: 1:049:26


Às vésperas da saída de Peter Gabriel,o Genesis cumpria sua gig pela Inglaterra divulgando o conceituado álbum "The Lamb Lies Down On Broadway". O grande lance dessa turnê,é a execução na íntegra do disco divulgado. Foi justamente esse trabalho que praticamente contribuiu com a decisão de Gabriel em deixar o Genesis,logo após a passagem da banda pelos Estados Unidos. O vocalista já não aguentava mais as críticas dos ex companheiros em relação à obra. É fato que,Tony Banks,e Mike Rutherford,não viam com bons olhos as composições de "The Lamb Lies Down On Broadway",o que deixava Peter Gabriel puto dentro das calças. Os ex colegas,o acusavam de monopólio durante a concepção das canções. Na realidade esssa espécie de ópera rock,foi criada na sua totalidade somente por Peter Gabriel,e conta a história de "Real",um delinquente juvenil nascido em Porto Rico,e que vivia liderando gangues em Nova York. A apresentação registrada nesse Bootleg,foi realizada no "Liverpool Empire Theatre" em Liverpool/Inglaterra,no dia 19 de Abril de 1975. No set List,com exceção de "The Knife",o restante das músicas todas pertencem ao LP "The Lamb Lies Down On Broadway".

Formação Clássica:

Peter Gabriel: Vocals,Flute
Tony Banks: Keyboards
Mike Rutherford: Bass
Steve Hackett: Guitar
Phil Collins: Drums,Percussion,Backing Vocals

sábado, 15 de setembro de 2012

CLASSIC BOOTLEGS: Parliament Funkadelic Live -Hampton 1978

Formato: CD Duplo
Áudio: Soundboard Stereo Recording
Duração: 1:033:51


Quem pensa que o hip hop é a maior maravilha do mundo,é porque ainda não ouviu "Parliament Funkadelic". O malucão George Clinton,desde o início dos anos setenta,já vinha desbancando o trono do mestre James Brown, que ficou aluído ao ouvir esse verdadeiro combo da black music,e perceber as diretrizes que o funk estava tomando. MC(Mestre de cerimônia) Clinton,Juntou "Stax","Motown" e transformou tudo numa potente usina funkeira,capaz de rachar qualquer assoalho desestruturado. O baixo cheio de grooves de "Bootsy Collins",a guitarra Hendrixiana de "Eddie Hazel",os metais em brasa a cadência,nada deixa alguma dúvida,é pra sacudir mesmo! Esse Bootleg foi gravado durante uma apresentação dos caras no Hampton Coliseum em Hampton-Virginia/Usa,,numa noie de sábado dia 03/06/1978,onde a plateia foi ao delírio com os quase 20 minutos de "Mothership Connection",além da psicodélica "Maggot Brain". Genial !!!!

Set List:

Disc 1
Funkentelechy
Cosmic Slop
Maggot Brain
Bop Gun(Endegered Species)
Cholly(Funk Gettin'Ready To Roll)
It Ain't Illegal Yet
Flash Light
Disc 2
Mothership Connection(Star Child)
Give Up The Funk(Tear The Roof O)

Formação da banda na época:

George Clinton: Vocals
Clarence"Fuzzy"Haskins: Vocals,Percussion
Eddie Hazel: Lead Guitar
Pat Lewis: Vocals
Taw Ross: Rhythm Guitar
Tiki Fulwood: Drums
Bernie Worrell: Keyboards
Bootsy Collins: Bass
Maceo Parker:Saxophone,Clarinet,Flute
Fred Wesley: Trombone
Calvin Simon: Vocals

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

SINGLES COLLECTORS(A história dos compactos): Baba O' Riley - The Who

Título: Baba O' Riley
Lado(B): My Wife
Artista: The Who
Compositor: Pete Townshend(Baba O' Riley),John Entwistle(My Wife)
Produtor: Glyn Johns
Lançamento: Novembro de 1971
Selo: Polydor
Consta no álbum: Who's Next


Uma homenagem ao gurú "Maher Baba". Foi assim que surgiu a música "Baba O' Riley". Além do gurú de Pete Townshend,essa canção também foi inspirada no compositor "Terry Riley"(outro homenageado),que com suas ideias eletrônicas,acabou despertando lampejos no guitarrista para que ele compusesse as texturas minimalistas executadas com um sintetizador,na abertura da canção. O Violino no grand finale,foi uma solicitação do baterista Keith Moon. Nos concertos esse violino,é substituido por uma harmônica tocada por Roger Daltrey.

Nota: Baba O' Riley,chegou ao top 40 das paradas britânicas

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

TESOURO ENCONTRADO: Reunion In Central Park 1973 - The Original Blues Project

O Blues Project,foi formado na cidade de Nova York em 1965 pelo tecladista Al Kooper e pelo guitarrista Danny Kalb. Gravaram até 1972,seis discos oficiais e encerraram as atividades. No ano seguinte,foram convidados para participar do "Schaffer Festival" com a formação original. Se reuniram novamente: Al Kooper(Teclados,vocais),Roy Blumenfeld(Bateria),Danny Kalb(Guitarra Solo,Vocais),Steve Katz(Guitarra,harmônica,Vocais),e Andy Kulberg(Baixo). Tocaram no Central Park numa tarde ensolarada de 24 de Junho de 1973, para uma multidão de fãs. Esse original duplo álbum,apresenta além de repertório próprio,clássicos de Muddy Water(Louisiana Blues e Two Trains Running),Jimmy Reed(Caress Me Baby),Chuck Berry(You Can't Catch Me),e Donovan(Catch Me Wind). Essa pérola foi lançada em formato digital em 1995 pelas gravadoras One Way Records e Repertoire Records. O lançamento original de 1973, é da MCA. Uma aula de Blues e Rock 'n' Roll,aplicada diretamente do palco pôr mestres dos gêneros.


Nota: Kooper e Katz,em 1967 deixaram o Blues Project,e formaram ao lado do baterista Bobby Colomby,o Blood Sweat & Tears. No ano seguinte,Al Kooper pula fora.

CLASSIC BOOTLEG: Concert In Central Park - Crosby & Nash

Formato: CD duplo
Áudio: HQ Audiencie


Na realidade Crosby,Stills & Nash,mais tarde com Young,foram os responsáveis pelo meu fascínio pelo folk rock. As harmonias vocais que esses caras criaram,é algo mágico,encantado,realmente estavam predestinados à compartilhar vocalizações. Esse Bootleg,registra um show somente de David Crosby e Graham Nash,o que não muda quase nada,isso porque a dupla cercou-se de excelentes músicos para acompanha-los,e o set list,apresenta canções tanto da carreira dos dois,como clássicos do CSN&Y. A apresentação,foi no Dr.Pepper Music Festival - Central Park/NY,em 10 de Novembro de 1976. Na ocasião eles estavam em tour com o álbum "Whistling Down The Wire". A qualidade de gravação desse CD é excelente. Gravado direto da platéia,a fita master passou por remasterização em estéreo,dígno de um trabalho perfeito do mago bucaneiro dos anos setenta "Dan Lampinski".

Músicos:

David Crosby: Vocals,Guitar
Graham Nash: Vocals,Guitar,Piano
David Lindley: Slide Guitar,Pedal Steel Guitar,Violin
Danny Kortchmar: Lead Guitar
Craig Doerge: Keyboards,Clarinet
Tim Drummond: Bass
Russ Kunkel: Drums

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

CLASSIC BOOTLEGS: Live In Usa 1974 - Faces

FORMATO: CD Simples
ÁUDIO: Soundboard Stereo Recording
SELO: Swingin' Pig Records


Em 1974,o Faces cumpria suas últimas apresentações pelos Estados Unidos,com Rod Stewart declarando que,todos iam aos shows somente para assisti-lo,tanto que o último álbum oficial da banda saiu com o nome de Rod Stewart/Faces(Rod Stewart/Faces Live: Coast To Coast....Overture and Beginners). Essa Tour já não contava mais com o baixista Ronnie Lane,em seu lugar havia entrado o Japonês Tetsu Yamauchi,egresso do Free.
Esta apresentação aconteceu no Cobo Hall em Detroit,no dia 27 de Novembro de 1974. Depois dessa excursão,o grupo rachou pra valer. Rod Stewart,continuou sua bem sucedida carreira solo,e Ron Wood foi para os Rolling Stones onde está até hoje. O restante dos integrantes,gravaram discos solos, e participaram como convidados em outros. Ronnie Lane,faleceu em 04/06/1979.

Formação na época:

Rod Stewart: Vocals
Ron Wood: Guitars
Ian Mclagan: Piano,Keyboards
Tetsu Yamauchi: Bass
Kenney Jones: Drums

ROCK 'N' CINE: LA VALLÉE - 1972

Diretor: Barbet Schroeder
Produtor: M.Chanderli e Stephane Tchalgadjieff
Estúdio: Lagoon
Trilha Sonora: Harvest
Duração: 114 Minutos


Em 1972,o Pink Floyd caía mais uma vez nas graças do cineasta(Iraniano)Barbet Schroeder,para compor toda a trilha sonora desse verdadeiro clássico do cinema francês. La Vallée,tem como roteiro,às aventuras de uma pesquisadora francesa vivida pela atriz Bulle Orgier,que passa vários dias em Nova Guiné, pesquisando a arte nativa daquela localidade. A cada tomada de câmera,o som do Pink Floyd ecoa com propriedade. Na discografia oficial do grupo,o álbum saiu com o título de "Obscured By Clouds"(1972).


Nota: O Pink Floyd,também fez parceria com Barbet Schroeder em "More"(1969)

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

CLASSIC BOOTLEGS: In Chile 1996 - Sex Pistols

Formato: CD Simples
Áudio: FM Broadcast


O Sex Pistols em 1996,durante a turnê de reunião do grupo,propositalmente chamada de "Filthy Lucre Tour".
A apresentação foi no Teatro Monumental de Santiago do Chile,em 07 de Dezembro de 1996. Essa mesma Excursão,passou pelo Brasil com shows no Rio, e São Paulo,trazendo de volta,o baixista original "Glen Matlock" no lugar de Sid Viciuos(1957-1979),que em 1977,havia lhe substituido. Nesses concertos,com apresentações tembém pela europa e estados unidos,o destaque ficava por conta do guitarrista Steve Jones que vinha tocando sua Les Paul,como se estivesse numa banda de heavy metal,talvez por ter ele formado algumas do gênero,como o "Chequered Past",muito antes desse único e derradeiro retorno.

Formação:

John Lydon(Johnny Rotten): Vocais
Paul Cook: Bateria
Glen Matlock: Baixo
Steve Jones: Guitarra

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

CLASSIC BOOTLEGS: LIVE IN CHICAGO - JOURNEY

Formato: CD Duplo
Áudio: Excelente Transmissão em Frequência Modulada.


O Journey foi o grande responsável pelo termo Arena Rock,criado nos anos oitenta,isso porquê, o grupo arrasta milhares de fãs para às suas apresentações,quantidade essa compatível à grandes estádios. Formado por Neal Schon(guitarra), e Gregg Rolie(teclados), dois ex integrantes da banda do guitarrista Carlos Santana,foram iniciados praticando um jazz rock com alguma latinidade. A partir do Lp "Infinity",Steve Perry(cantor que tem Sam Cook como ídolo), já era o vocalista principal,e o som da banda também começou a mudar para um hard rock melódico de excepcional qualidade. Esse show,captura o Journey  se apresentando no "Polar Creek Theatre" em 05 de Setembro de 1981,ocasião em que excursionava pelos Estados Unidos,divulgando o disco "Scape".

Formação da época:

Steve Perry: Lead Vocals
Neal Schon: Guitarra-Backing Vocals
Jonathan Cain: Teclados
Ross Valory: Baixo-Backing Vocals
Steve Smith: Drums

domingo, 2 de setembro de 2012

SINGLES COLLETORS: Smoke On The Water - Deep Purple

Título: Smoke On The Water
Lado B: Smoke On The Water(Live)
Artista: Deep Purple
Compositor: Deep Purple
Lançamento: Jeneiro de 1973
Selo:Deep Purple Records
Consta no álbum: Machine Head


Sem dúvida,um dos riffs mais conhecidos do rock"n"roll,eu diria que é tanto quanto ( I Can't Get No)Satisfaction,dos Rolling Stones e Day Tripper dos Beatles. Nove entre dez aspirantes à profissão de guitarrista,praticam os acordes iniciais de "Smoke On The water". A letra dessa porrada do Deep Purple,foi escrita em menos de cinco minutos pelo vocalista Ian Gillan,e menciona o incêndio em um casino em Montreux na Suíça. O episódio aconteceu no exato momento em que Frank Zappa e os Mothers Of Invention se apresentavam,e segundo relatório policial,isso só ocorreu,depois que um maluco de miôlo mole, resolveu acionar uma pistola de sinalização náutica,em direção ao teto do estabelecimento. Este mesmo casino,serviria de estúdio para o Deep Purple iniciar as gravações do àlbum "Machine Head" utilizando os equipamentos do Rolling Stones Mobile Studios,o que acabou não acontecendo. Foi então que os músicos,resolveram improvisar nos corredores do hotel onde estavam hospedados. Ficaram por alguns dias,até que foram caguetados à policia pelo barulhão que faziam,e consequentemente obrigados a deixar o local retornando à Londres, onde concluíram as gravações do LP,de onde foi extraído esse maravilhoso compacto.

Nota: O single de "Smoke On The Water",ficou 16 semanas em 4º lugar na Billboard.

sábado, 1 de setembro de 2012

CLASSIC BOOTLEGS: Cleveland 1976 - Supertramp

FORMATO: CD Simples
ÁUDIO: FM Broadcast

O Supertramp em turnê pelos Estados Unidos,divulgando o excelente álbum "Crisis? What Crisis?. Esta foi a melhor formação da banda que durou até 1983 com a saída de Roger Hodgson. Competentes ao extremo,os músicos do Supertramp,batiam um bolão nos palcos. A marca registrada da banda tornou-se os vocais(alguns em falsetes),o piano fender rhodes e os teclados de Rick Davies e Roger Hodgson. Davies e Hodgson,se revezavam vocalizando à cada canção executada. Havia também os solos de saxofone de John Helliwell que colaborava com os backing vocals. Ninguém pode mencionar musicalmente da metade ao final dos anos setenta sem lembrar do Supertramp. A apresentação foi em Cleveland no Agora Ball Room,no dia 16 de Outubro de 1976. Tomara que um dia eles voltem com esse line up,só depende de Roger Hodgson.

Formação:
Rick Davies: Piano,Fender Rhodes Piano,Keyboards,Harmonica,lead vocals
Roger Hodgson: Keyboards,Electric Guitar,Acoustic Guitar,Lead Vocals
John Anthony Helliwell: Keyboards,Saxophone,Clarinet,Backing Vocals
Dougie Thomson: Bassguitar
Bob C. Benberg: Drums,Percussion

Era ou não era uma senhora banda??


SINGLES COLLECTORS: Have A Cigar - Pink Floyd

O Pink Floyd com Roy Harper no palco
TÍTULO: Have A Cigar
LADO B: Shine On You Crazy Diamond(Pt.I)
ARTISTA: Pink Floyd
COMPOSITOR: Roger Waters
PRODUTOR: Pink Floyd
LANÇAMENTO:  Novembro de 1975
SELO: Harvest/EMI,UK
CONSTA NO ÁLBUM: Wish You Were Here


Have A Cigar teve uma ilustre participação,o cantor Inglês de folk music Roy Harper. Harper estava gravando no estúdio Nº 2 em Abbey Road,e o Pink Floyd gravava o disco "Wish You Were Here" ao lado,quando David Gilmour o convidou para registrar sua vóz na canção.  Durante os dias em que transcorreram as gravações do álbum,os músicos do Pink Floyd tiveram uma surpresa fantasmagórica. Syd Barrett,apareceu misteriosamente no estúdio como se fosse uma assombração. Totalmente desconhecido pela banda num primeiro momento,Syd ficou parado em frente aos ex colegas e olhando pro infinito questionou: "Como é rapazes,em que momento eu entro com a guitarra?". Comovido,Ricahrd Wright respondeu: "Syd,sua participação com a guitarra já foi gravada". Foi então que eles acabaram gravando de imediato "Shine On You Crazy Diamond" em sua homenagem.