segunda-feira, 29 de outubro de 2012

LENDAS DO ROCK: O TERÇO

O Terço foi um grande grupo Brasileiro de rock com uma identificação muito grande junto à garotada a partir do final dos anos sessenta,quando passou a ser frequentador assíduo dos festivais de MPB,trasnmitidos pela televisão. No final de 1966,vamos encontrar o guitarrista e baixista Sérgio Hinds servindo na aeronáutica de onde foi expulso por mau comportamento e excesso de detenções. Ao deixar a farda,Hinds encontra o músico Paulo Jobim(primo legítimo do saudoso Tom Jobim). Eles formam com mais dois amigos,o Hot Dogs e começam a tocar nos bailes do Rio de Janeiro. O repertório é basicamente The Beatles,The Byrds,The Hollies e The Rolling Stones. Três anos depois,os Hots Dogs não existiam mais,em seu lugar Sérgio Hinds Formou outra banda:Os Libertos,que também não deu em nada. Foram meses de ensaios com muita pausa e nenhuma composição autoral. Frustrado com toda essa situação,Sérgio resolve radicalizar levando Os Libertos para Corumbá no Mato Grosso do Sul. Nessa cidade ganharam um contrato para tocar numa boate,e depois de três semanas,largaram tudo depois de levar um calote do proprietário. Mais uma vez puto,Sérgio Hinds acaba com tudo,pega sua velha kombi caindo aos pedaços,retorna ao Rio e passa à vender pão de forma,para levantar uma grana e sustentar a família(Sérgio já estava casado). Nesse período nebuloso,ele conhece Paulinhos Tapajós,um compositor de mão cheia além de músico e produtor de gravadora. Paulinho lhe oferece uma música para que ele à defenda no festival estudantil do colégio Santo Inácio. Hinds não somente interpreta a canção,como ganha o festival. Isso o torna motivado,principalmente depois que Tapajós o convida para gravar um compacto. Em 1968,Os Libertos são reunidos novamente para essa possivel gravação e em seguida conseguem entrar como participantes do festival de Juiz de Fora,já devidamente rabatizados agora como O Terço. O nome Os Libertos,foi proibido pelos organizadores sobre pressão da censura hipócrita da época. O Terço era:Sérgio Hinds(Baixo,Guitarra eVocais),Jorge Amiden(Guitarra,Vocais),e Vinicius Cantuária(Bateria e Vocais). Esse line up interpretou em Juiz de Fora, uma composição de Renato Correa(Ex Golden Boys) e Gutenbergue Guarabira(Futuro Sá,Rodrix e Guarabira). No final da apuração o trio acabou vencendo o festival no que marcaria os rapazes como o conjunto dos festivais,participando de vários F.I.C(Festival Internacional da Canção). Em 1970,eles lançam o primeiro LP simplesmente chamado de O Terço,totalmente voltado para o psicodelismo. O trabalho foi um verdadeiro fracasso,ninguém, acreditava muito num grupo acostumado apenas com os festivais de canções. Hinds começa a procurar ganhar grana de outra maneira e vai trabalhar acompanhando o cantor Ivan Lins que naquele momento tocava uma espécie de soul music. No lugar ocupado por Sérgio Hinds no Terço,entra Cezar das Mercês. Após os compromissos com Ivan Lins,Hinds retorna novamente,agora com a ideia de tocar rock progressivo,mas antes vão até à Cannes(França),acompanhar Marcos Vale no Midem(Mercado Internacional de Discos e Editores Musicais). Em 1972,eles gravam o segundo álbum,outra vez chamado de o Terço com produção do crítico musical Ezequiel Neves e com algumas músicas alongadas,bém no estilo progressive rock. Depois desse álbum,o gênio Jorge Amiden saiu para formar o excelente e obscuro Karma. Até 1974, o Terço passou por algumas alterações, e praticamente sem lançar nada,o grupo encontra-se reduzido ao seu fundador Sérgio Hinds. Justamente nesse período,o agora somente guitarrista começou a demonstrar interesse em trabalhar com o baixista Sérgio Magrão e com o baterista Luiz Moreno,ambos pertencentes a banda de apoio de ,Rodrix & Guarabira. O mineiro Flávio Venturini-outro conhecido de Sérgio Hinds dos tempos de festivais,entra para completar a nova formação do Terço. Os quatro no melhor estilo bandas de rock Inglesas,alugam uma casa no interior de São Paulo e passam meses compondo para um novo LP. Em 1975,eles lançam "Criaturas da Noite",um álbum fundamental para o rock inteligente praticado no Brasil com obras primas como: "Hey Amigo","Queimada","Pano de Fundo","Jogos das Pedras" e "1974".  Em 1976 veio "Casa Encantada",trazendo o boogie"Foi quando eu vi aquela lua passar" e em 1978,já com a formação alterada,eles lançaram "Mudança de Tempo" com o hit "Pela Rua", e um trabalho direcionado mais para a MPB. Nessa ocasião o conjunto era formado por: Sérgio Hinds(guitarra,Vocais),Sérgio Magrão(baixo)Cezar das Mercês(de volta tocando violões),Luiz Moreno(bateria) e Sérgio Kaffa(que ara da banda de Erasmo Carlos, nos teclados). Foi o melhor momento de um grupo inovador por completo,mesclou com muita sabedoria a música regional,principalmente a mineira-cortesia de Flávio Venturini-com o rock progressivo dos holandeses do Focus por exemplo. Nos próximos 25 anos seguintes,embora não mais tão influente como antes,O Terço segue seu caminho sendo carregado nas costas somente por Sérgio Hinds que tem feito alterações diversas na sua formação. O Terço é um nome fortíssimo fora do país e aclamado por muitos fãs espalhados pela Europa. Mas nós jovens brazucas daquele tempo,jamais esqueceremos de cantar o refrão:
Hey Amigo!
Cante à Canção comigo.

Notas: O guitarrista Jorge Amiden saiu depois do lançamento do álbum O Terço(1972),para formar o excelente trio acústico "Karma" que chegou a lançar um único disco pela RCA Victor.

Vinicius Cantuária que nasceu em Manaus e hoje é músico de jazz em Nova Yorke,chegou a estourar no Brasil nos anos oitenta com o hit "Só Você".

Cezar das Mercês chegou a lançar um disco solo nos anos oitenta,na mesma época em que Sérgio Hinds lançou o seu.

O baterista Luiz Moreno,faleceu de cancer em 27 de Julho de 2002.

Sérgio Magrão continua trabalhando com música nos estúdios Paulistanos

Flávio Venturini depois do Terço, formou nos anos oitenta o 14 Bis ao lado do amigo e baterista Vermelho(ex Bendengó) e do irmão Cláudio Venturini,em seguida se tornou um grande compositor e intérprete da MPB.

Discografia Básica:

O Terço(1972/Continental)
Criaturas da Noite(1975/Copacabana)
Casa Encantada(1976/Copacabana)
Mudança de Tempo(1978/Copacabana)


Obs: Criaturas da Noite e Casa Encantada,foram lançados com muito sucesso em formato digital na Itália.

Nenhum comentário:

Postar um comentário